Santa Maria/RS: Estudantes e entidades indigenistas promovem evento sobre desafios e perspectivas dos indígenas no Brasil

Esta terra tem dono. Assim como Sepé Tiaraju proclamava o direito de seu povo de permanecer nesse território lutando contra o Tratado de Madri e os invasores portugueses e espanhóis, nós reafirmamos esse lema aqui. A Universidade Federal de Santa Maria é exemplo de conquistas do povo indígena, hoje possui a primeira casa do estudante índio do Brasil, e com muita luta, garante com assistência estudantil sua permanência.

Apesar disso, se faz necessário, mais do que nunca, debater e aprender mais sobre a questão indígena brasileira.

Com o Golpe de 2016, o fortalecimento da Bancada Ruralista, as políticas de estrangeirização da terra, criação de uma CPI para a FUNAI, a discussão do Marco Temporal e o aumento exponencial da violência no campo, somente no ano 2016 foram assassinados 118 indígenas no Brasil (Relatório do Cimi, 2017) é compromisso de cada uma e cada um de nós aprender mais sobre as questões políticas que tangem a situação atual dos nossos povos originais, e se somar a esta luta por direito á vida, á liberdade, á terra e ao respeito á sua história e cultura. 

Nesse intuito o Diretório Central dos Estudantes, com o apoio do Conselho de Missão entre Povos Indígenas (COMIN), do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), o Diretório Livre do Direito da UFSM (DLD), da Comissão de Implementação e Acompanhamento do Programa Permanente de Formação de Acadêmicos Indígenas (CIAPFAI), da Coordenadoria de Ações Educacionais (CAED), do Núcleo de Estudos em Agricultura Familiar (NESAF), da Federação
dos Estudantes da Agronomia do Brasil (FEAB) e da Associação Brasileira de Estudantes de Engenharia Florestal (ABEEF), constrói hoje este evento, a fim de resgatar a história da resistência dos povos indígenas, que acontece a mais de 500 anos, de sua luta pela terra, contra o racismo e o preconceito. E também aprender com os e as indígenas estudantes que estão conquistando seu direito á educação e estudam na UFSM.

Serviço:

Quando: 11/05/2018

Onde: Auditório do 74C, Universidade Federal de Santa Maria, campus sede.

Horário: 14h às 17h

Evento gratuito.

Convidados/as do evento:

Cristiane Nun Rá Kajru Bento é da etnia Kaingang e acadêmica do curso de Enfermagem da UFSM. Ela é representante da CIAPFAI (Comissão de Estudantes Indígenas da UFSM) e também militante da causa Indígena. Atualmente é integrante do PET Indígena.
Luiz Henrique Eloy Amado é advogado formado em direito pela Universidade Católica Dom Bosco – UCDB (2011). Doutorando em Antropologia Social no Museu Nacional UFRJ, possui Mestrado em Desenvolvimento Local em Contexto de Territorialidades – UCDB (2013). Foi Membro da COMISSÃO ESPECIAL PARA DEFESA DOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB (2012-2016). Atualmente é assessor jurídico da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB. É coordenador da linha de pesquisa Genocídio Indígena no Brasil no Grupo de CONFLITOS ARMADOS, MASSACRES E GENOCÍDIOS NA ERA CONTEMPORÂNEA da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP. Fundador do Núcleo de Defesa e Assessoria Jurídica Popular de Mato Grosso do Sul – NAJUP/MS e integrante da Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares – RENAP.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here