Joinville: Manifestação questiona aumento da passagem

Por Johannes Halter.

Acontece nesta quinta-feira (20/12), às 17h30, a manifestação contra o aumento da tarifa de ônibus em frente à Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Joinville – Rua Nove de Março, 817. O objetivo do ato será protestar por uma solução para a greve da saúde estadual, questionar a destruição dos serviços públicos e rejeitar o reajuste no preço do transporte coletivo.

O prefeito Carlito Merss anunciou na segunda-feira (17/12) que dará o reajuste ainda em seu governo, o que elevará a passagem para cerca de R$ 3 antecipada. As empresas haviam pedido um aumento de 12%. Atualmente o valor da unidade antecipada custa R$ 2,75, enquanto a embarcada sai por R$ 3,10. Em entrevista ao jornal A Notícia, o prefeito diz que a tarefa caberá a ele, pois o próprio teria instituído a rotina de autorizar os novos valores no fim de cada ano.

União de várias lutas

Para o Comitê Popular de Luta – frente que reúne sindicatos, entidades estudantis, associações de moradores, mandatos parlamentares e movimentos autônomos – a manifestação de quinta terá também o objetivo de unificar as lutas populares da cidade. Com a soma dos grevistas da saúde estadual, pretende-se juntar o debate sobre a destruição dos serviços públicos e a respeito do reajuste da tarifa do transporte.

Licitação e modelo de mobilidade

Apesar de assumir a responsabilidade de conceder o aumento neste ano, a licitação do transporte coletivo ficará para o próximo governo segundo informado pelo atual prefeito. O modelo previsto pelo projeto da prefeitura estipula a concorrência entre empresas privadas que queiram prestar o serviço. O Comitê propõe a criação de uma empresa pública para gerenciar o serviço.

250 no começo de dezembro

A mobilização desta semana dará sequência ao movimento que começou no dia 5 de dezembro. Nesta data, 250 pessoas protestaram em frente à SDR para chamar a atenção para o descaso e a omissão do governo sobre os principais serviços públicos. Os organizadores da atividade eram os mesmos que agora convocam a população usuária ou não às ruas do Centro de Joinville para convencer Carlito a desistir de autorizar o reajuste.

Imagem: Material desenvolvido pela União Joinvilense dos Estudantes Secundaristas (Ujes) sobre o histórico dos aumentos.

Post to Twitter Post to Facebook