Saberes infames

Por V.B., para Desacato.info.

Como o corvo se alimenta da carniça do mundo,

Tu te alimentas de crenças apodrecidas.

Corrompe as sensações com saberes infames.

Digere-as com silêncios tilintantes.

O coração aflito se protege do beijo gelado de uma boca de palavras anestésicas.

Determinada a calar a surdez de uma fala prostituta,

A voz avoluma-se e salta latente de sussurros coléricos,

Que incham como a umidade que penetra, enruga, estufa e esfarela.

Cor agora de uma parede sem manchas, desbotada.

 

Dezembro, 2014

 

Imagem de capa: Pintura rupestre de 40 mil anos achada em Bornéu

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.