RENAFRO e a Política Nacional de Saúde Integral da População Negra: diálogos sobre Afrobiopolítica

Frente ao recrudescimento do racismo religioso na sociedade brasileira, impõe-se às comunidades tradicionais de terreiro explicitar conceitualmente à esfera pública a complexidade da visão de mundo africana, evidenciando os destroços efetuados pelo colonialismo e atualizados pela colonialidade.

A Rede Nacional de Religiões Afro-Brasileiras e Saúde(RENAFRO), desde sua criação em março de 2003 durante o II Seminário Nacional Religiões Afro-Brasileiras e Saúde, em São Luiz (MA), tem desempenhado um papel de destaque, em âmbito nacional, no controle social da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra (PNSIPN).]

Sendo uma instância de articulação da sociedade civil que envolve adeptos(as) da tradição religiosa afro-brasileira, gestores e profissionais de saúde, integrantes de organizações não-governamentais, pesquisadores e lideranças do movimento negro.

A Rede tem como objetivos: valorizar e potencializar o saber dos terreiros em relação à saúde; estimular práticas de promoção da saúde; monitorar e intervir nas políticas públicas de saúde exercendo o controle social; legitimar as lideranças dos terreiros enquanto detentores de saberes e poderes para exigir das autoridades locais um atendimento de qualidade, onde a cultura do terreiro seja reconhecida e respeitada; reforçar a importância de interligar as práticas de saúde realizadas nos terreiros com as práticas de saúde no SUS; contribuir para uma reflexão sobre diferentes aspectos da saúde da população dos terreiros; estabelecer um canal de comunicação entre os adeptos da tradição religiosa afro-brasileira, os gestores, profissionais de saúde e os conselheiros de saúde.

Atualmente a RENAFRO possui 46 núcleos no país, e integra diversos espaços de decisão de políticas públicas de saúde, e entre esses podemos destacar: Comitê Técnico de Saúde da População Negra do Ministério da Saúde, Comissão Intersetorial de Saúde da População Negra do Conselho Nacional de Saúde, Comissão Intersetorial de Saúde da População LGBT do Conselho Nacional de Saúde, Comitê Nacional de Educação Popular e Saúde do Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Segurança Alimentar, Conselho Nacional de Juventude , Conselhos Municipais e Estaduais de Saúde entre outros.

Nesse sentido, a RENAFRO, o Núcleo de Estudos e Pesquisas É’LÉÉKO da UFPEL, com apoio da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social do Ministério da Saúde (SEGEP/DAGEP/MS), propõem um conjunto de Encontros Regionais dos Núcleos da RENAFRO com o propósito de fomentar a discussão sobre a interface saúde e comunidades tradicionais de terreiros, e demais temas que a tranversalizam, tais como: racismo religioso e afrobiopolitica.

Endereço para Inscrição do Evento: http://inscricoes.ufsc.br/

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.