Protesto exige fim das mortes de ciclistas e bloqueia SC 401

Por Márcio Papa, de Florianópolis, para Desacato.info (texto e fotos).

Em resposta a convocação, detonada pelas redes sociais, 500 usuários sob duas rodas, -estimativa da Polícia Militar Rodoviária presente- que trafegam diariamente nas vias públicas da Capital e da região metropolitana de Florianópolis, reuniram-se ontem, sexta, dia 29, na Avenida Beira mar, -Centro- e partiram em uma das pistas, conduzindo-se pacifica e organizadamente por uma das faixas, até o Centro Administrativo Estadual, na SC 401, km 05.  Rodovia a onde Simone Bridi, mãe de duas crianças, perdeu sua vida em seu traslado para casa, após mais um fim de jornada de trabalho. Seria a sua última.

Deflagrada violência no trânsito, no início deste ano, ( mortes desde o começo), os usuários de diversas classes profissionais e níveis sociais, vem lentamente sendo exterminados um a um, em compasso proporcional ao aumento do número de carros que trafegam por Florianópolis e região metropolitana.

Uniram-se a funesta pedalada, ativistas e militantes de outros movimentos sociais, entre eles o do Passe- Livre. Estiveram dando seu apoio acompanhados de suas magrelas, bradando sempre em coro, em nome da indignação com tipo de tratamento  que os contribuintes, e eleitores vem recebendo do Governo Estadual .O mesmo se aplica ao impiedoso Prefeito, que decretou na última terça, 29/01/2016, um aumento de no valor da tarifa de 11,94%, a título de cumprimento de acordo de reajuste previsto em contrato de licitação.

Com exceção das sirenes de uma ambulância que trafegou livremente, foram vinte minutos de paralização. Distantes da foligem e o roncar dos motores dos carros, um sepulcral silêncio que a todos tomou conta. Intercalado apenas pelo emocionado desabafo de Fabiano Faga, Conselheiro da União dos Ciclistas do Brasil:

“ – Não queremos mortes. Não queremos sofrer acidentes… Chegamos ao extremo de fechar esta rodovia nos dois sentidos…- Queremos sair e voltar para casa com segurança… “

Após o traumático atropelamento de Everton Luiz Machado, 22 anos, no fim de 2013, trafegando pelo acostamento; Muito recentemente em 05/10 de 2015, a vida ceifada de Gabriel Serôa da Mota, professor de Química do Instituto Federal de Santa Catarina; – IFSC- Da morte de Róger Bitencourt, de 49 anos, no fim do ano passado, -27/12/2015- na ciclofaixa sentido centro; E agora, no trágico atropelamento de Simone Bridi em 24/01, domingo passado.

Para a ciclista Adriana machado (foto de capa), de 50 anos, que percorre cinquenta quilômetros diários, (em sua maioria no continente) participa de grupos de ciclistas, mas sai de casa com medo e o receio de que o pior aconteça a ela. “ -Você pode estar em sua mão, na ciclo-faixa, e corre o risco ainda estar envolvido em uma tragédia dessas… Em menos de um mês, duas vítimas… Multas pedadas, sem relaxamento de penas, são necessárias, mas a construção de ciclovias é fundamental…”

MARCIO Eraldo de Carvalho Pedro Foto Marcio Papa Desacato 2

O ciclista Eraldo de carvalho Pedro (foto acima), Gerente Administrativo, integrante do grupo Vício-Pedal, que pedala dezessete quilômetros diariamente, ( do Campeche à Coqueiros) contou-nos como fugiram ele e a namorada, de um atropelamento, no Campeche, também no domingo passado por volta das 17:30 hs :

“ – Pedalávamos a 10 (dez) quilômetros horários. Em  instantes vi um veículo uno cor vinho. Ele atravessava a rua avançando sobre as tartarugas. Gritamos o mais alto que podíamos. Ao ouvir-nos puxou o volante corrigindo sua tragetória… -Não fomos colhidos, por razão de centímetros…

Márcio Papa Desacato:

– Você se utiliza da bicicleta para dirigir-se ao trabalho, o que vê pelo percurso que também faz desanimá-los?

Eraldo de Carvalho:

“ Há um pessoal do pedal, que deixa a desejar… como andar na contra mão, mas o pior são as “finas” dos ônibus, dos carros… – Há motociclistas que gritam assustando-nos. O direito de ir  e vir com segurança para ir ao trabalho e passear aos fins de semana , está colocado como uma solução que parece distante. Pois estão envolvidos a ela: a política, empresários de transportes, motoristas… e a educação de todos, de uma maneira geral…”

-Fiquei em choque com a falecimento da Simone…mas não vou parar de pedalar…gosto e preciso pedalar…minha vida mudou depois do pedal, em todos os sentidos de minha saúde…”

MARCIO Jackes Morgado foto Marcio Papa Desacato 2

O campeão mundial de no Jiu-Jitsu e“tri-atleta” Jacks Morgado Sobrinho (foto acima), que está em preparação física, competindo por Florianóplis, comenta outras realidades:

“ -No brasil todo, e em especial aqui nesta capital, há um desrespeito enorme ao ciclista, e autoridades fazem vista grossa…Carros avançam sobre a ciclovia e acostamento nos congestionamentos ou simplesmente param e até estacionam… –Eu sofri um acidente recentemente, pelo primeiro motivo.”

A reportagem também conversou com o Vereador Lino Peres, que acompanhou todo o trajeto e foi ter com diversos representantes de grupos de ciclistas um contato direto com a grave situação vivida por eles:

Vereador Lino Peres:

“ – Existem projetos importantes de ciclovias, mas que que não se consegue implantar.- Há técnicos sérios dentro da Prefeitura, dentro do IPUF. e há necessidade que hajam, muitos recursos para isso. Incentivos do governos Federal, Estadual e local para compra de bicicletas. O GEMURB, -Grupo de Estudos de Mobilidade Urbana Sustentável- da UFSC, discute a acessibilidade de todos os pedestres. Na mobilidade estuda-se o conceito de transportes circulares, e inclui-se a isso, também as ciclovias, uma ”sub-linha” de pesquisa).”

Márcio Papa/Desacato:

– Como suplantar a dor, o estarrecimento e o choque, ao saber que mais uma trabalhadora, ainda jovem, perde sua vida, por motivo banal, que é o desrespeito ao espaço da ciclo-faixa, a ela reservado?

MARCIO Protesto chega de mortes foto Mártcio Papa Desacato 2 a

Vereador Lino Peres (foto acima):

“ – É lamentável. – Estamos de luto. A única forma de superar isso, é a luta, como esse ato de hoje, onde nos dirigimos ao Centro Administrativo partindo deste bar, ao lado da Ponta do Coral. É um alento à dor da família da Simone Bridi, e de todos os ciclistas… É a melhor forma de suavizar esse grande trauma. Respondendo imediatamente com ações concretas e humanizadoras como esta. -Pois os que tombaram, muitos deles foram militantes da causa…não só usuários, que não aceitaram submeterem-se ao uso apenas dos carros e do precário transporte coletivo em Florianópolis mas sim, ao uso e ocupação das vias, e é em homenagem à todos esses, que essa mobilização está sendo feita hoje…”

Infelizmente, como apurou a reportagem do Portal Desacato, (fato comentado nas redes sociais) houve pressão da parte da Polícia Militar, pela celeridade durante o percurso, gerando insatisfação o que logo fora contido pelos ciclistas à frente dos demais.

Com o desejo honesto em desculpar-se pelo “transtorno” que  fez esperarem o fim do ato, os manifestantes distribuíram a todos os motoristas parados nas proximidades, aos pedestres e aos que saiam do Centro Administrativo uma lista de reivindicações:

  • Adoção de políticas de educação e respeito no Trânsito
  • Colocação de sinalização adequada
  • Construção de ciclovia segregada da rodovia
  • Fiscalização ostensiva, diária e ininterrupta
  • Políticas de maior acessibilidade em transporte coletivo para motoristas que frequentam festas e baladas naquela região
  • Instalação de redutores de velocidade
  • Instalação de uma central de vídeo monitoramento de toda a rodovia
  • Colocação de placas advertindo os motoristas que o percurso está sendo gravado e acompanhado pela central de vídeo monitoramento

Um abaixo assinado on line está recebendo assinaturas em  https//goo.gl/38Aenl.

Convocação: Os integrantes da organização do ato, voltam a se reunir dia 14,de janeiro,no local do acidente, para a instalação da “bicicleta fantasma” de cor branca, um simbolo internacional da violência no trânsito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.