Presidente da Associação de Críticos do RJ deixa de dar aula após alunas o acusarem de assédio

Por Chico Felitti.

Rodrigo Fonseca, que é presidente da Associação de Críticos do Rio de Janeiro e escreve sobre filmes para alguns dos principais veículos de imprensa do Brasil, deixou de dar aula na Escola de Cinema Darcy Ribeiro, no Rio, depois que mais de dez alunas relataram que ele as havia assediado.

BuzzFeed News conversou com dez funcionários, professores e alunos da escola. Todos confirmaram que houve acusações públicas de assédio, moral e sexual, antes do desligamento de Fonseca. Entre os ouvidos pela reportagem, há uma aluna que afirma ter sido assediada.

Fonseca afirmou na tarde de quarta (25) que foi ele quem pediu afastamento, por problemas de saúde. E negou que tenha praticado assédio.

Reprodução/Facebook

Reunião com choro

O caso começou a vir a público em junho, quando quatro alunas foram à diretoria da Darcy Ribeiro para afirmar que o professor as havia assediado.

No dia 9 de julho, a escola promoveu uma reunião com cerca de 80 alunos do primeiro semestre, de cursos como Roteiro, Montagem e Produção. Todos tinham aula com Rodrigo Fonseca.

Presentes na conversa afirmam que 13 mulheres contaram histórias similares do professor durante o encontro, em que houve choro e frases como “comigo também aconteceu”.

As histórias narradas têm uma estrutura parecida: o professor abordava as alunas no intervalo, ou após as aulas, que acontecem à noite, e as convidava para tomar um café ou uma cerveja, oferecendo ajuda com o conteúdo das aulas. Se a aluna aceitava o convite, o professor fazia investidas físicas quando estavam sozinhos.

Uma aluna ouvida pelo BuzzFeed News diz que o professor colocou a mão na sua nuca e tentou lhe beijar. Ela se esquivou. “Nas semanas seguintes, ele começou a me destratar em sala. Tudo o que eu respondia ou escrevia estava errado”, diz a mulher, que pediu para que seu nome não fosse publicado.

Caso a aluna não aceitasse o convite para sair, também havia represálias na sala de aula, segundo o relato das alunas.

As pessoas ouvidas afirmam que não foi feita nenhuma denúncia à polícia. Alunas afirmaram temer por seu futuro profissional e por manchar a imagem da escola.

Na última semana, após pressão de alunos e de professores, a escola passou a oferecer assessoria psicológica e jurídica às alunas que trouxeram a público seus casos de assédio.

 

A Darcy Ribeiro é apontada como uma das melhores escolas livres de cinema do Rio de Janeiro. O processo seletivo é considerado rigoroso, e um semestre letivo ali custa R$ 4.730.

BuzzFeed News foi até a escola para falar com sua diretoria. Esperou por duas horas e não foi atendido. Mensagens de texto não foram respondidas. Por telefone, uma das diretoras disse: “Não vou falar agora”.

Outro lado

Rodrigo Fonseca nega que tenha assediado qualquer aluna. “Eu não estou sabendo disso, você é que está me contando agora”, ele disse ao BuzzFeed News. O professor afirmou que saiu da Darcy Ribeiro por questões de saúde. “Estou com problemas de estômago e não ia conseguir dar aula no próximo semestre.”

Fonseca escreve com frequência críticas e entrevistas para o site Omelete. Além disso, colabora com o jornal O Globo, o Jornal do Brasil e O Estado de S. Paulo. Ele também trabalhou como roteirista para programas da TV Globo, onde foi redator do “Encontro com Fátima Bernardes”.

Em suas redes sociais, ele também aparece como professor titular da Academia Internacional de Cinema. O professor e crítico está anunciado como mediador de dois debates que acontecem na sexta e no sábado na Casa de Cultura de Paraty, onde acontece a Flip. O evento não faz parte da programação oficial da Festa Literária de Paraty.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.