Prefeito desmerece servidor durante plenária da Acijs

Publicado em: 25/04/2017 às 16:16
Prefeito desmerece servidor durante plenária da Acijs

Por Sérgio Homrich.

Antídio Lunelli foi prestar contas dos 100 primeiros dias de mandato. Foi a segunda visita à Acijs em pouco mais de 60 dias

Os servidores jaraguaenses acompanharam a prestação de contas dos primeiros 100 dias de mandato do prefeito Antídio Lunelli e secretariado apresentada durante a Plenária da Acijs (Associação Comercial e Industrial de Jaraguá do Sul), no início da noite de ontem (24). Novamente, o prefeito voltou a destilar seu preconceito contra o servidor e o desconhecimento do serviço público. “O setor público está falido e o câncer chama-se estabilidade”, disse o prefeito, diante de outros comparativos que provocaram a ira e reação dos servidores presentes (o acesso foi controlado, com a identificação de cada um). Fora do prédio, os servidores fizeram vigília. A última visita do prefeito à Acijs foi em 13 de fevereiro.

Antídio Lunelli voltou a comparar o serviço público com a iniciativa privada, criticar o número de afastamentos de servidores doentes – “passou o estágio probatório, é atestado em cima de atestado”, ironizou. Disse ainda que a prefeitura gasta mais com a manutenção de uma criança no Centro de Educação Infantil do que outra que está em creche particular, criticou as férias e a carga horária do servidor. Afirmou, por fim, que a Prefeitura de Jaraguá do Sul é uma das que melhor paga em Santa Catarina. Até o momento, o prefeito ofereceu reajuste zero para a categoria, que está em Campanha Salarial. “Os que não estão contentes dentro da Prefeitura que peçam a conta e vão procurar emprego em outro lugar”, finalizou.

O servidor público João dos Reis está sofrendo processo administrativo movido pelo prefeito Antídio Lunelli, em decorrência da greve de 32 dias. Na plenária da Acijs, João literalmente perdeu a paciência diante do desrespeito com que o prefeito trata o servidor: “Estão nos tratando como se fôssemos um lixo, como se a gente tivesse chegado no serviço público por boquinha. Não, nós passamos por um concurso público, um processo seletivo, e este prefeito tenta nos denegrir e nos encaixar como incompetentes, como se nada fôssemos, e a gente sabe que a sociedade só funciona com serviço público de qualidade”, desabafou João.

Passos da mobilização

Nesta terça-feira (25), o Sindicato dos Servidores (Sinsep) reúne os representantes por local de trabalho, no auditório Zé da Galera, na sede (rua Marina Frutuoso, 955) a partir das 18 horas. Já na quarta-feira (26) realiza reunião, no mesmo local, com os mais de 20 servidores envolvidos em processo administrativo instaurado pela Portaria 393/2017, assinada pelo prefeito. E na quinta-feira (27) acontece a Assembleia da Campanha Salarial e de avaliação da greve, na Arsepum (Associação Recreativa dos Servidores Públicos Municipais), a partir das 18 horas. Os servidores também devem participar do Ato Público que acontece no dia 28 (sexta-feira), em apoio ao Dia Nacional de Luta contra as reformas do governo Michel Temer (Previdenciária e Trabalhista e contra a lei da terceirização).

 

Deixe uma resposta