Porque existem terraplanistas

O que distingue o sábio do tolo é que o sábio tem DÚVIDAS contínuas sobre a interpretação do mundo, enquanto o TOLO tem certezas absolutas e não muda.

Foto: Reprodução da internet

Por Andre Motta Araujo.

Há quinhentos anos o navegador português Fernão de Magalhães iniciava sua viagem de circum-navegação, que comprovou que a Terra é redonda.

Como é possível ter gente no mundo que acha que a terra é plana?  A crença se mistura com outras do mesmo naipe e ignorância, tem cérebros para isso.

Tenho amigos e conhecidos bem-sucedidos na vida, executivos de empresas, família bem estruturada, finanças em ordem. Eles são dotados de boa MICRO INTELIGÊNCIA, aquela que consiste na organização de seu pequeno mundo, MAS a mesma pessoa fala imensas bobagens quando trato de questões universais, quando entende a História e a Geopolítica de forma superficial e pedestre, citando duas ou três ideias fixas.

Conheça mais sobre a Novembrada, acontecimento que foi um marco na luta contra a ditadura militar no Brasil. E aconteceu em Santa Catarina! Saiba mais em https://www.catarse.me/quarenta

O que distingue o sábio do tolo é que o sábio tem DÚVIDAS contínuas sobre a interpretação do mundo, enquanto o TOLO tem certezas absolutas e não muda.

O SÁBIO evolui todo dia porque sua dúvida é permanente, o TOLO não evolui, ele é o mesmo com 18 anos e com 70 anos, suas certezas são suas âncoras.

Mas por que existem os TERRAPLANISTAS, os tolos que acham que a Terra é plana e não redonda? Não é possível negar a ciência de forma tão absoluta.

O INTELECTUAL REJEITADO

Alguns tolos pretendem ser pensadores e não são aceitos no mundo dos sábios exatamente porque eles não sabem debater, não debatem porque só tem certezas. Elas tentam de toda forma ser aceitos em grupos de intelectuais de verdade, os sábios cheios de dúvidas, mas são rejeitados e ficam revoltados.

Se voltam então contra os intelectuais de verdade, aqueles que sempre tem dúvidas, e carimbam nesses que os rejeitam a marca de MARXISTAS CULTURAIS.

Por que esse nome? Porque Marx foi o grande criador de dúvidas quando contestou o sistema de acumulação de riqueza. Não importa se estava certo ou errado, muitos sábios acham que ele estava errado, mas o ponto é outro. Marx era um contestador e, portanto, um portador de dúvidas, o que causa horror aos que só tem certezas, que é o caso dos IGNORANTES FUNDAMENTAIS, aqueles que passam a vida aferrados a crenças firmes e imutáveis.

Como os INTELECTUAIS de verdade no mundo do pensamento são portadores de duvidas permanentes, eles não aceitam em seus grupos os donos da verdade, os crentes da certezas, os admiradores de teorias conspiratórias, que são o apogeu de estupidez. Quem acredita em teoria conspiratória NÃO TEM DÚVIDAS, se apega a essas crenças pelo resto da vida, TUDO É CONSPIRAÇÃO da CIA ou da MONARQUIA BRITÂNICA ou da MAÇONARIA ou do GEORGE SOROS ou do grupo BILDERBERG, as variações vão ao infinito, ao gosto do freguês e pobre de quem conteste aquele que é o único que está bem informado, porque um vizinho que “sabe das coisas” lhe contou ou foi um professor de ginásio que lhe confidenciou no café.

Nesse mundo das trevas nascem os que acham que vacinas são uma conspiração para diminuir o número de habitantes da Terra, os que acham que o AQUECIMENTO GLOBAL é uma conspiração dos “marxistas culturais”, os que acham que o Foro de São Paulo manda na América Latina, há quem ache que Hitler fugiu para a Argentina, que a família do Czar Nicolau II não foi fuzilada em Ekaterinburgo, que o homem não chegou à Lua. Nesse hospício tem os que acham que a Terra é plana, você não sabe? Como pode ser redonda se a água dos lagos não cai para fora da bola?

Há espaços e ambientes onde se propagam essas baboseiras, certas igrejas são um bom cenário porque essas crenças amarram os crentes aos pastores espertos, que obviamente não acreditam em nada disso, mas “espalham” essas tolices para mentes simples, como fazem no caso das vacinas.

A política é um campo imensamente fértil para essas tolices e servem de base a grupos e seitas políticas, amarrando os ignorantes em cordões de iguais na crença das mesmas bobagens, que carregam pela vida afora, eles são seguros e felizes porque não tem dúvidas, só certezas.

HISTÓRIA

Há situações na História onde, por circunstâncias, esses ignorantes chegam ao poder. Foi o caso do nazismo (não do fascismo) onde um bando de charlatães intelectuais, cheios de crenças em teorias da conspiração, Goebbels, Rosenberg, Streicher, Eichmann, Heydrich, Himmler, usaram essas crenças para matar milhões, prender milhares, desencadear guerras, ocupar países, acreditaram até o fim que só eles estavam certos, só eles, o resto do mundo errado.

Nem todos os nazistas eram estúpidos de fato, muitos apenas fingiam acreditar mas eram inteligentes o suficiente para saber a realidade, caso de Albert Speer, que sobreviveu para começar uma nova carreira como consultor empresarial de clientes britânicos, depois de vinte anos de prisão, ou o General número 1 da SS militar (Waffeb SS) Karl Wolff, que rendeu um milhão de homens no norte da Itália aos americanos, obtendo na transação feita em Ascoona, na Suiça, tendo do outro lado da mesa Allen Dulles, criador da CIA, um salvo conduto para o resto da vida, tornou-se um próspero lobista e relações públicas de grandes corporações alemãs.

Esse episódio gerou um livro escrito por Allen Dulles “Rendição Secreta”. Os espertos usam essas crendices para formar grupo de tolos e se aproveitar disso, podem ser pastores, gurus, mestres de autoajuda ou falsos filósofos, eles lideram tolos, mas eles mesmos não são tolos e, evidentemente, não acreditam nas crendices que vendem material de valor.

O crente de verdade, por não ter acesso a um círculo de intelectuais verdadeiros, tem como primeira meta atacar esses que julgam seus opositores.

O nazismo queimou livros em praça pública, fechou museus, exilou cientistas, rasgou quadros, tinham horror à cultura e ao humanismo.

A Itália, mais civilizada, não tomou esse caminho sob o fascismo, um dos traços mais fundamentais que separam um regime de outro. Parecidos, mas não iguais. Outro grande erro é colocar no mesmo balaio regimes que se parecem, mas que tem algumas grandes diferenças objetivas e conceituais.

O Estado Novo brasileiro foi pró-cultura, a direita não é toda ela obscurantista, só a mais atrasada, tocada por gente inculta em setores culturais.

O Estado Novo brasileiro produziu alta cultura e cultura popular em boa escala, cada regime tem semelhanças e diferenças mas há regimes-cópias que são piores que o original, caso do franquismo espanhol, uma cópia muito piorada do fascismo italiano, mais atrasada e mais obscurantista.

Não há certezas ou teorias definitivas em História, tudo pode ser repensado e reanalisado, a História é um caos e não é previsível. Fundamental é manter vivo o conhecimento, a ciência, a cultura, a arte, o debate permanente e a liberdade de expressão, o obscurantismo é inimigo da evolução.

1 COMENTÁRIO

  1. Jornalista parcial metido à intelectual. Você leu o que vc escreveu? Os assuntos mencionados como vacinas, formato da terra, homem na lua e etc é justamente não ser tolo e aceitar tudo goela abaixo. É ter dúvida de tudo, como vc mesmo disse. A ciência é baseada em questionamentos e por várias vezes, a ciência fez novas descobertas, mudou conceitos, derrubou teorias que ela mesma criou. Foi muito infeliz nesse seu artigo, você é o típico doutrinado tolo, que acha que aqueles que questionam é que são tolos. Caso perdido, vergonha da profissão Jornalista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.