Por que apoiar a greve dos trabalhadores do transporte público?

Por Marcela Cornelli.

A vitória de um trabalhador é a vitória de todos. Por isso, é preciso urgentemente e incondicionalmente apoiarmos a greve dos motoristas e cobradores do transporte público da Grande Florianópolis. Principalmente nós, usuários do transporte público, que dependemos dos ônibus para estudar, trabalhar, poder ter acesso ao lazer e nos deslocarmos de nossas casas todos os dias e que somos tanto quanto esses trabalhadores explorados todos os dias pelos gananciosos donos das empresas de ônibus.

A greve dos motoristas e cobradores do transporte público em Florianópolis entra no seu segundo dia com forte adesão. Os trabalhadores pedem nada mais nada menos que seus direitos, aumento salarial justo, diminuição na jornada para 6 horas diárias e melhores condições de trabalho. Uma luta justa. Porém, a Prefeitura, os donos das empresas de ônibus e a mídia burguesa fazem questão de desqualificar o movimento, questionar a legitimidade do mesmo e jogar a culpa de um transporte público ineficaz e caro para os trabalhadores do setor.

Ironicamente, o prefeito Dário Berger vai à TV e diz que está “irritado” com a greve. Ora prefeito, irritado estamos nós usuários que enfrentamos as péssimas condições de transporte público todos os dias. A greve dos trabalhadores é um direito constitucional e eles nada mais fazem, que reivindicar o que é justo. Já o prefeito e os donos das empresas de transporte exploram esses trabalhadores e nos exploram com o alto lucro que obtêm com umas das passagens, senão a maior, mais caras do Brasil. E ninguém fica indignado com a situação de falta de ônibus, ônibus caindo aos pedaços, escassos horários e a tarifa que sobe absurdamente. Mas, agora que uma classe de trabalhadores está reivindicando melhores condições de trabalho – o que todos nós também trabalhadores queremos, essas pessoas se dizem preocupadas com a situação do povo. Pura falácia e enganação. A única coisa que o prefeito e as empresas de ônibus se preocupam é com o próprio bolso.

Nós, usuários de transporte e trabalhadores não somos nada para eles a não ser em épocas de eleições, como veremos nos próximos meses, quando nos olham como números a serem faturados nas urnas. Há tempos o movimento Passe Livre e demais movimentos sociais lutam pelo fim destas concessões às empresas de ônibus da maneira vergonhosamente como é feita, beneficiando os empresários em detrimento do povo. Agora, trabalhadores, é hora de apoiarmos essa luta. Os que estão no poder e no controle das empresas de ônibus querem é dividir a nossa classe, é colocar trabalhador contra trabalhador. A culpa do aumento nas passagens não é da greve e sim o olho ambicioso dos donos das empresas que só querem lucrar e não investem em transporte público de qualidade.

O transporte público é caótico em todo o País. Mas é muito mais fácil pro governo diminuir o IPI, para que os trabalhadores se endividem cada vez mais comprando carros particulares, tornando o trânsito nas ruas cada vez mais inviável e aumentando a poluição, do que investir em um transporte público de qualidade. O fim do caos no transporte público e a diminuição nas tarifas só acontecerão quando houver unidade na luta dos trabalhadores, quando ao invés de julgarmos os trabalhadores do transporte em greve unirmo-nos a eles, quiçá quando houver uma greve geral neste País por melhoria para todos os trabalhadores e pelo o fim da exploração pelo capital. Todo apoio à greve dos trabalhadores do transporte público da Grande Florianópolis. “Trabalhadores do mundo, univos, vós não tendes nada a perder a não ser vossos grilhões”.

1 COMENTÁRIO

  1. Concordo plenamente, O prefeitinho e o governo burgues só se preocupam com o própeio umbigo desvalorizando a greve dos motoristas como se eles lutassem por algo medíocre.
    Sem eles a Cidade de Florianópolis para, a mídia e o governo estão manipulando a mente da população tentando tirar o apoio da população isso é realmente revoltante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here