Polícia reprime manifestação em frente a Tribunal Eleitoral de Honduras

Publicado em: 30/11/2017 às 14:58

Manifestantes se reuniram na frente do TSE e fizeram barricadas, e polícia atirou bombas de gás lacrimogêneo; Hernandez lidera apuração com cerca de 0,5 p.p. de vantagem.

Polícia reprime manifestação em frente a Tribunal Eleitoral de Honduras

A polícia hondurenha reprimiu uma manifestação ocorrida na madrugada desta quinta-feira (30/11) em frente ao Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) do país, que apura (lentamente) os votos da eleição presidencial realizada no último domingo (26/11).

Nesta manhã, com 88,76% das urnas apuradas, o presidente do país, Juan Orlando Hernández, passou à frente na apuração e tem 0,58 ponto percentual de diferença para o oposicionista Salvador Nasralla, que chegou a liderar por 5 pontos percentuais e acusou o governo de fraudar o pleito. O resultado definitivo deve sair nas próximas horas.

Segundo a emissora teleSUR, manifestantes se reuniram na frente do TSE e fizeram barricadas, queimando pneus e interrompendo o trânsito, sendo reprimidos pela polícia com gás lacrimogêneo. Meios de comunicação hondurenhos afirmaram que o centro logístico do TSE chegou a ser evacuado por conta da tensão na área.

Reação da oposição

Nasralla afirmou à imprensa, ainda de acordo com a teleSUR que não irá reconhecer o resultado e diz que, às 15h (hora local, 19h em Brasília) desta quarta, “caíram os sistemas, caiu tudo e começaram a entrar atas [eleitorais] que não estavam assinadas”.

Através de suas redes sociais, Nasralla publicou dezenas de denúncias sobre o processo eleitoral hondurenho, que vem sendo marcado pela lentidão das apurações. O candidato afirmou também que nas últimas horas o TSE de Honduras vem tentando modificar os resultados finais.

Membros do Partido Anticorrupção também denunciaram irregularidades no processo eleitoral. Por meio de seu twitter, Nasralla aproveitou para dizer que as “as urnas foram fechadas às 16h (local), quando deveriam ficar abertas até às 17h”. O candidato recebeu apoio de Manuel Zelaya, ex-presidente de Honduras, para concorrer às eleições.

O candidato presidencial hondurenho chamou uma manifestação para a manhã desta quinta-feira. “Faço um chamado a todo o povo hondurenho para que se junte a mim amanhã de manhã [hoje] em Tegucigalpa para defender o voto (…); convido o povo hondurenho a defender nas ruas o que ganhamos nas pesquisas”, afirmou, por meio de sua conta no Twitter.

Lentidão nas apurações

O primeiro boletim do Tribunal Supremo Eleitoral (TSE), divulgado no início da segunda-feira (27/11) mostrou Nasralla com 45,17% dos votos, contra 40,21% de Hernández, tido como favorito. Os dados saíram apenas 10 horas após o fim da votação. Desde então, o processo de apuração entrou em marcha lenta e, quatro dias depois, ainda não foi concluído.

O processo eleitoral foi marcado pela polêmica candidatura de Hernández à reeleição, que é proibida pela Constituição de Honduras. Ele acabou sendo autorizado a participar do pleito por decisão do tribunal constitucional do país.

Fonte: Opera Mundi

Deixe uma resposta