Polícia arromba acampamento do OWS

Publicado em: 15/11/2011 às 10:21
Polícia arromba acampamento do OWS

Uma operação da polícia de Nova York pôs fim ao acampamento do movimento Occupy Wall Street, que há mais de dois meses ocupava uma praça particular de Manhattan, em protesto contra a crise econômica que afeta os EUA e o mundo. Pelo menos 40 pessoas que resistiram à desocupação foram presas pelos policiais, segundo informações da rede norte-americana NBC. O número total de detidos ainda é incerto.

Manifestante encara policial durante desocupação da praça Zuccoti, casa do Occupy Wall Street há dois meses

Óperamundi. A desocupação atendeu a pedido da prefeitura de Nova York, que disse por meio do Twitter, que os manifestantes poderão voltar para o local posteriormente. A ação, que coincide com ações similares efetuadas pela polícia em outras cidades do país, aconteceu depois que um pequeno grupo de comerciantes e moradores da área foi à Prefeitura para reclamar dos supostos prejuízos gerados pelo acampamento e pediram a desocupação.

Em seu site na internet, o Occupy Wall Street confirmou que vários “indginados” foram presos, entre eles estaria o “vereador Ydanis Rodríguez, que sofreu um ferimento na cabeça”. “A Praça da Liberdade (Freedom Plaza, nome que deram ao local), casa do Occupy Wall Street há meses, lugar de nascimento do movimento e de onde se estendeu para outras regiões dos Estados Unidos e do mundo, foi desocupada pela Polícia”, afirmou o movimento. Parte dos manifestantes já havia saído do local para aderir a uma marcha em direção à Casa Branca.

De acordo com os manifestantes, por volta das 4h20 (horário de Brasília), a polícia começou a enviar caminhões para o local, enquanto fechava a Ponte do Brooklyn, que liga esse bairro ao de Manhattan, além de algumas estações de metrô da região. Na sequência, vários helicópteros da polícia nova-iorquina sobrevoaram a região e centenas de agentes chegaram, impedindo o acesso da imprensa à praça, de acordo com o site do movimento, que acrescentou que “entre 400 e 500 pessoas começaram uma passeata”.

Segundo os manifestantes, surgiram conflitos quando “a polícia destruiu muitos objetos pessoais dos indignados e a biblioteca do acampamento, que contava com 5 mil livros doados, e alguns fizeram uma barricada na área da cozinha”, destacaram.

Pelo menos 63 indignados foram detidos neste fim de semana em várias tentativas de despejo dos acampamentos que se multiplicaram nos Estados Unidos, durante confrontos que acabaram com a retirada das barracas de Oakland (Califórnia), Salt Lake City (Utah), Portland (Oregon), Denver (Colorado) e St. Louis (Missouri).

*Com informações da agência Efe

Deixe uma resposta