PF encontra planilhas de suposta propina com ex-dirigentes da Novacap

2017-06-02 09:33

Material achado com Maruska e Martorelli serviu de base para juiz autorizar busca e apreensão na sede da estatal nesta quinta-feira (1º/6)

PF encontra planilhas de suposta propina com ex-dirigentes da Novacap

Por Juliana Cavalcante.

Na decisão que autorizou busca e apreensão na Novacap nesta quinta-feira (1º/6), o juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, revela indícios encontrados pelos investigadores contra os ex-dirigentes da estatal Maruska Lima e Nilson Martorelli. Ao vasculharem as casas de ambos, no dia 23 de maio, os policiais apreenderam planilhas que apontariam o pagamento de propina durante a execução da reforma do Mané Garrincha, além de grande quantidade de dinheiro em espécie.

Nesta quinta, em um desdobramento da Operação Panatenaico, que levou dois ex-governadores e um vice à prisão na semana passada, a Polícia Federal cumpriu mandado na sede da Novacap, que fica às margens da Estrada Parque Indústria e Abastecimento (EPIA). Os investigadores estão atrás de novas provas que possam reforçar o esquema delatado por ex-executivos da Andrade Gutierrez ao Ministério Público e à Polícia Federal.

Na representação entregue à Justiça, a PF relata que apreendeu pen drives na casa de Maruska com o que seria uma suposta planilha de pagamentos de propina. Solta nesta quarta-feira (31), a ex-gestora, no entanto, não soube explicar por que a mídia estava em sua residência. Também foram identificados documentos suspeitos sobre a construção do estádio, no carro da ex-dirigente da estatal.

Já na casa de Nilson Martorelli, a PF diz ter achado uma “grande quantidade de dinheiro suspeito” dentro de um cofre. A cifra, que perfaz o total de R$ 268.147,54, “a princípio, não condiz com a sua condição de ex-servidor público, desempregado há mais de dois anos”, de acordo com a autoridade policial. Além disso, foram encontradas planilhas com valores que totalizam R$ 500 mil, o que coincide com a possível propina cobrada por Martorelli para a realização de um dos aditivos da obra do Mané.

“Assim, considerando esses novos elementos probatórios encontrados nas residências de ambos os investigados, os quais exerceram relevantes cargos na Novacap no período da ocorrência dos supracitados delitos, é grande a probabilidade de que, na sede da referida empresa, existam outros elementos probatórios sobre a prática ilícita”, avaliou o juiz, ao deferir o mandado.

Operação Panatenaico – Decisão da busca e apreensão cumprida na Novacap


Maruska Lima, que também presidiu a Terracap no governo do petista Agnelo Queiroz, e Nilson Martorelli teriam recebido, segundo investigações da Polícia Federal e do Ministério Público, R$ 500 mil cada um em propina durante a reforma da arena. Eles foram presos no dia 23 de maio com mais oito pessoas, entre elas, os ex-governadores Agnelo, José Roberto Arruda (PR) e o ex-vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB).

Maruska é apontada em delação como única signatária da pré-qualificação do Consórcio Brasília, formado pela empreiteira e a Via Engenharia. Segundo relatos de Rodrigo Leite Vieira, ex-executivo da Andrade Gutierrez, na qualidade de dirigente da Novacap e depois presidente da Terracap, ela teria recebido valores ilícitos das duas empresas, incorrendo nos delitos de corrupção, fraude à licitação, associação ou organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Martorelli, segundo relatório da Polícia Federal, também foi alvo das confissões de Rodrigo Leite Vieira e teria recebido propina durante aditamentos contratuais da reforma do estádio, recebendo dinheiro de Alberto Noli, da Via Engenharia, e da Andrade Gutierrez. A defesa de ambos não foi localizada até a última atualização desta reportagem.

As investigações revelam um sobrepreço de R$ 900 milhões nas obras do Mané. Orçada inicialmente em R$ 690 milhões, a reforma da arena acabou custando R$ 1,5 bilhão, o que fez com que o estádio se tornasse o mais caro entre os 12 que receberam os jogos da Copa do Mundo de 2014.

Fonte: Metrópoles

Deixe uma resposta