Petrobras anuncia lucro recorde em 2019, mas não cita venda de ativos e demissões

Foto: Agência Brasil/Divulgação Petrobrás.

Na quarta-feira (19), a Petrobras divulgou o relatório com seus resultados financeiros do quarto trimestre do ano passado. Com esses dados, foram também consolidados os resultados de 2019. A estatal registrou no ano passado um lucro líquido de R$ 40,1 bilhões, o maior de sua história, em valores nominais. O montante representa um aumento de 55,7% em relação a 2018. Em 2010, último ano do governo Lula, o lucro da Petrobras ficou em R$ 35,19 bilhões. Até então, este era o recorde da estatal.

É preciso levar em conta, no entanto, que o lucro do último ano foi obtido com a venda de subsidiárias estratégicas, como a Transportadora Associada de Gás (TAG) e a BR Distribuidora, campos de petróleo na Bacia de Campos e nas áreas terrestres do Nordeste e do norte capixaba, entre outros ativos que, de acordo com a Federação Única dos Petroleiro (FUP), renderam à empresa R$ 44,5 bilhões.

Só no Sistema Petrobrás, foram mais de 270 mil demissões, entre trabalhadores próprios e terceirizados nos últimos anos. Ainda de acordo com a FUP, em 2019, a empresa intensificou a redução de seus efetivos, que cairam de 63 mil para 58 mil trabalhadores próprios e de 116 mil para 103 mil terceirizados.

Junto ao relatório da última quarta-feira, foi divulgada uma mensagem aos acionistas assinada pelo presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco. Ele aponta que este foi o primeiro ano da implementação de uma nova estratégia sustentada em cinco pilares: maximização do retorno sobre o capital empregado, redução do custo do capital, busca incessante por custos baixos, meritocracia e respeito às pessoas e ao meio ambiente e foco na segurança das operações.

Para a FUP, a principal política de Castello Branco consiste no encolhimento da petrolífera, cada vez mais reduzida a uma empresa exportadora de óleo cru, concentrada na produção do pré-sal. Enquanto a área de exploração e produção registrou em 2019 lucro de R$ 49,9 bilhões, 12,9% a mais do que no ano anterior, o lucro da área de refino encolheu 53,1%, em função das baixas cargas das refinarias, principalmente as que foram colocadas à venda.

A redução da produção do parque de refino fez a empresa amargar quedas nas receitas e aumentar a importação de gasolina, que cresceu 47%, e diesel, que aumentou 19%. Já a exportação de óleo cru teve um aumento de 24%.? Tal política estaria fazendo os brasileiros pagarem preços de importação, em dólar, para derivados que poderiam ser produzidos nas refinarias da Petrobras, gerando empregos e renda.

Greve dos petroleiros

Após 19 dias de greve, completados na quarta-feira (19), os trabalhadores da Petrobras indicaram suspensão da paralisação após reunião do conselho deliberativo da FUP. O indicativo é motivado pela abertura de diálogo da empresa com os trabalhadores e pela suspensão das demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR). A indicação precisa ser votada em assembleias nas bases sindicais da categoria, o que deve ocorrer ainda nesta quinta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.