Pastora evangélica agride a própria sogra, de 73 anos, na frente de crianças

Pastora evangélica e cantora gospel agride a própria sogra, de 73 anos, na frente de crianças. Após a repercussão do vídeo, a mulher tentou se justificar

Imagem: Reprodução.

A cantora gospel e pastora evangélica Lucimara Pires, de 34 anos, virou o assunto principal na cidade de Nova Andradina, em Mato Grosso do Sul, após circular nas redes sociais um vídeo que mostra ela agredindo sua sogra, de 73 anos. Segundo o ‘Jornal da Nova’, o episódio ocorreu no dia 7 de janeiro. Crianças aparecem nas imagens.

A missionária confirmou o episódio, mas negou ter batido na sogra, embora o vídeo registre a covardia. Lucimara Pires classificou a briga como um “pequeno incidente”.

Ainda em sua justificativa, a evangélica afirma que foi xingada e agredida pela idosa, a qual teria lesionado sua boca. No momento em que estava se defendendo, alega Lucimara, o marido – que é filho da idosa – começou a filmar para mostrar aos irmãos e familiares que estava sofrendo com as atitudes da mãe.

“A mãe do meu esposo é muito transtornada, aparentando um descontrole anormal, me agrediu sem motivos, com muitos insultos. Fui obrigada a respondê-la, sem qualquer violência. Não houve nenhuma agressão física”, disse.

“Ninguém da família quer ficar com ela [idosa], então resolvemos ficar até que uma filha que mora em Nova Casa Verde, alugasse uma casa aqui em Nova Andradina, para morar com ela, mas desde que estava em nossa residência, foi uma atribulação, uma perturbação, cheguei a ligar no Corpo de Bombeiros e na Polícia Militar no dia 7, mas me disseram que não podiam fazer nada”, conclui.

Nas palavras da missionária, ela vai prestar depoimento na delegacia, levar a verdade, provar que tem apoio dos familiares, dizendo que não a agrediu e sim apenas se defendeu das agressões que há um mês vem sofrendo da idosa. “Hoje, vai ver a condição que ela está vivendo com um filho que é solteiro, em um sítio no assentamento na Casa Verde”, disse.

Nas redes sociais, as justificativas da pastora não convenceram. “Depois de agredir a sogra, é só ir para a igreja e posar de boa moça, cidadã de bem. E hipocrisia que segue”, observou uma internauta. “A hipocrisia está incrustada em nossa sociedade dita ‘desenvolvida’”, comentou outra.

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) de Nova Andradina, investiga se houve maus-tratos ou vias de fato mediante a violência doméstica.

VÍDEO:

*As informações são do Correio 24 Horas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.