Era falso… Paraná: 17 PMs se recusam a atacar professores e são presos

professores-manifestacaoCadeirante para na frente da Tropa de Choque da Polícia Militar do Paraná durante o protesto desta quarta-feira, 29 (Imagem: Rodrigo Pinto)

A Polícia Militar de Curitiba informou que 17 policiais foram presos nesta quarta-feira, 29, por se recusarem a participar do cerco aos professores que estavam nas proximidades da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) para acompanhar a votação do projeto que autoriza o governo estadual a mexer no fundo de previdência dos servidores do Estado.

O massacre da polícia militar contra servidores e professores terminou com 213 feridos. Destas, 150 foram atendidas em 12 ambulâncias. Outros 63 feridos foram encaminhados para Unidades de Pronto Atendimento. Oito ainda estão em estado grave. As informações são do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Entre os feridos estão também o cinegrafista Rafael Passos da CATVE, que foi atingido por uma bala de borracha, e um cinegrafista da Band, atacado por um cachorro pitbull dos policiais. O comando da polícia informou que 20 soldados se feriram e dez pessoas foram detidas, sendo sete líderes sindicais.

ParanaPrevidência aprovado

Mesmo com a greve e pressão dos professores na porta da Assembleia Legislativa do Paraná, o projeto que propõe mudanças na Paranaprevidência foi aprovado por 31 votos a 20. O texto final será encaminhado para a sanção do governador Beto Richa.

Fonte: Pragmatismo Político.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.