Os escravos dos século XXI

Por Raul Longo.

Para Edson Braga, o Anjo Provocador

O racismo tem pai e mãe: o Medo e a Ignorância.

Não é filho único, mas irmão gêmeo de todos os demais preconceitos. A cara de um é o focinho do outro.

Isso das vaidades dos conhecimentos adquiridos é bobagem. Se leu mil livros, não leu uma biblioteca. Se leu uma biblioteca, não leu nada perto de todas as bibliotecas do mundo. De tudo o que se sabe, o certo é que muito mais se ignora.

Ignorar é inevitável. Mas ignorância é outra coisa. Ignorância é a prepotência pelo que não se é nem se tem, e ainda menos se compreende.

Ninguém é ignorante por desconhecer seja o que for. O sujeito pode não saber ler e ser dotado de inteligência extraordinária, enquanto outros que leram muito não superam a estupidez seja em quantos idiomas se expressem.

Ignorante é o que acusa, marginaliza, despreza o que sequer conhece e, por total ausência de qualquer resquício de inteligência, não é capaz de enxergar o valor que há além da cor, da forma, do supérfluo, do desnecessário, da eventualidade.

Omitir a informação, negar a realidade, evitar as evidências são formas de promover a Ignorância. De estimular suas prepotências.

E para quê? Por quê? Porque o ignorante é fácil de ser manobrado, de ser conduzido, controlado.

É só estimular seu medo. Todo ignorante é amante do medo. E quando emprenhado de medo, o ignorante se torna preconceituoso contra aquilo que ignora.

Através desse medo ele se deixa escravizar, permite que se o induza a agir contra si próprio.

Na tragicomédia “O Lado Negro da História”, finalizo a fala de um personagem que se nega às propostas de hipócrita irmandade de outro, com este verso:

Branco estúpido e sem memória…

Dizendo não, aguardo tua abolição

do ridículo de se querer branco

em mestiça nação.

Branco estúpido e sem memória…

Aguardo o dia da glória

de tua abolição

pra poder dizer:

– É branco… Sou teu irmão!

Na América o último país a abolir a escravatura foi o Brasil em maio de 1888. Mas através da ignorância imposta pelas empresas de produção cultural e do medo difundido por nossos meios de comunicação e formação de opinião pública, a grande maioria branca desse país continua escrava.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.