Os caminhoneiros e os golpistas velhacos

greve caminhoneiros

Segundo reportagem da Agência Brasil, os caminhoneiros intensificaram os bloqueios às estradas na manhã desta terça-feira (24). Balanço da Polícia Rodoviária Federal indica que “motoristas enfrentam dificuldades para atravessar 69 pontos de 24 rodovias federais em seis estados. Ontem à noite, eram 64 trechos bloqueados em 23 estradas federais… Os estados mais prejudicados são Santa Catarina, com 17 trechos bloqueados, Rio Grande do Sul, com 15 pontos interditados, e Paraná, com 14 bloqueios. As rodovias de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais tiveram aumento no número de interdições causadas pelos caminhoneiros”, descreve a repórter Ana Cristina Campos.

Por Altamiro Borges

Ainda segundo a matéria, “a Advocacia-Geral da União (AGU) decidiu entrar na Justiça Federal com pedido de liberação das rodovias bloqueadas. De acordo com a AGU, a medida tem o apoio do Ministério da Justiça, por meio da Polícia Rodoviária Federal e da Força Nacional de Segurança Pública. Até o momento, segundo o órgão, ainda não houve decisão da Justiça… A AGU informa ainda que pediu autorização da Justiça para que o Poder Público adote ‘as medidas necessárias para garantir a circulação nas pistas e a fixação de multa de R$ 100 mil para cada hora em que os manifestantes se recusarem a liberar o tráfego'”.

A trágica lembrança do Chile

O protesto dos caminhoneiros deriva do aumento do preço dos combustíveis, que encareceu os fretes e prejudicou a categoria. Ele faz parte de qualquer democracia que respeite o legítimo direito da livre manifestação – e o direito de greve. Apesar disto, alguns oportunistas de plantão, velhacos golpistas, já tentam se aproveitar do movimento para criar um clima de pânico na sociedade. Eles afirmam que o bloqueio das rodovias provaria que o país está desgovernado, o que justicaria o pedido de abertura de um processo de impeachment contra a presidenta Dilma. Principalmente nas emissoras de rádio – como na CBN “toca mentira” e na Jovem Pan, também apelidada de “Ku Klus Pan” –, comentaristas raivosos não param de difundir o terrorismo mais tacanho.

Protestos de caminhoneiros sempre existiram. Alguns até se tornaram famosos, como o organizado e bancado pela criminosa Agência Central de Inteligência (CIA), dos EUA, para derrubar o presidente chileno Salvador Allende, em 1973. No triste reinado de FHC, por exemplo, a categoria quase parou o país, bloqueando um número bem superior de rodovias entre julho e agosto de 1999. Na ocasião, o tucano ficou abalado, mas seu governo seguiu até o fim – apesar de 56% dos brasileiros acharem que a sua gestão era ruim/péssima, segundo as pesquisas daquele ano.

Alberto Goldman, velhaco patético

De qualquer forma, é bom ficar esperto. Pelas atuais pesquisas, a presidenta Dilma Rousseff aparece com 44% de ruim/péssimo. Mesmo assim, alguns fascistoides – novos e velhacos – já esbravejam pelo seu seu impeachment – os mais aloprados inclusive propõem o retorno dos militares ao poder. Eles agora poderão usar o bloqueio das rodovias como mais um pretexto para justificar a sua atitude insana. Não custa lembrar, como registrou o insuspeito jornalista Vinicius Torres Freire, na Folha desta terça-feira (24), que várias lideranças da categoria “apoiaram o tucano Aécio Neves na eleição do ano passado”.

O mesmo jornalão tucano publicou nesta terça-feira mais um artigo venenoso de Alberto Goldman, vice-presidente nacional do PSDB e ex-governador de São Paulo. De forma escancarada, sem meias palavras, ele prega o golpe “constitucional” e o desrespeito ao voto de 54,5 milhões de brasileiros em outubro passado. Para ele, “Dilma Rousseff e seu partido não têm condições políticas e morais para conduzir o país por mais muito tempo”. Por isso, ele prega “uma transição nos limites da democracia constitucional… Sobra o caminho legal do impedimento”. O tucano Alberto Goldman, ex-dirigente do PCB, transformou-se num velhaco patético!

Foto: Portal Peperi/ND Online

Fonte: Blog do Miro

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.