Ônibus com ar-condicionado param de rodar no Rio em mais ataque dos reis do transporte

Publicado em: 14/09/2017 às 16:45
Ônibus com ar-condicionado param de rodar no Rio em mais ataque dos reis do transporte

Em plena primavera, os corruptos empresários do transporte retiraram de circulação muitos ônibus com ar-condicionado, em retaliação pela redução da tarifa ocorrida há duas semanas. As informações foram dadas por passageiros ao jornal Bom Dia Rio no dia de hoje.

Segundo as denúncias, a linha 669 Méier – Pavuna, o 770 Campo Grande – Coelho Neto, o 887 e diversas outras linhas da Zona Norte e Oeste da cidade teriam parado de rodar com carros com climatização. Esta ação ilegal, segundo a denúncia, teria sido dada por ordem dos próprios empresários do transporte, segundo informado por um motorista à uma passageira.

Estes mesmos empresários já haviam iniciado a retaliação quando bloquearam o Bilhete Único Universitário em pleno final de semana, alegando “mal funcionamento” das máquinas dias depois. Ocorre que sempre tiveram acostumados a ter as maiores regalias através de compra de políticos cariocas segundo por exemplo a recente delação de Funaro que afirmou a compra de Picciani e Cunha por propina de Jacob barata, outro que foi liberado pela “justiça” de Gilmar Mendes, padrinho de casamento de sua filha.

E ainda por cima, não pagam os salários dos rodoviários da empresa São Silvestre, parte da categoria que trabalha duplamente como motorista e cobrador sem receber nada por isso.

Os ônibus climatizados eram um acordo de Eduardo Paes, outro que sempre beneficiou esta máfia dos transportes. Paes prometeu a climatização dos ônibus com ar-condicionado em toda a frota em troca de permitir a abusiva passagem de R$ 3,80. Isto nunca ocorreu, mas quando a justiça diminui a passagem para R$ 3,60, os capitalistas do ônibus tiraram de circulação os poucos carros que haviam em algumas linhas, para mostrar “que mandam”.

Para acabar com o poder destes capitalistas é preciso taxar suas fortunas para pegar de volta o lucro que tiveram com a tarifa, e estatizar o transporte sob controle de trabalhadores e rodoviários para ter transporte barato e de qualidade.

Fonte: Esquerda Diário

Deixe uma resposta