O preço da liberdade – Hoje, homenagem ao jornalismo independente de Florianópolis

Por Rosangela Bion de Assis, para Desacato.info.

Essa semana o jornalismo independente será homenageado na Câmara de Vereadores de Florianópolis, uma homenagem organizada pelo mandato do Vereador Lino Peres. O Portal Desacato será homenageado nesse dia.

Jornalista há 32 anos, descobri há nove, que não existe jornalismo sem independência. Fiz centenas ou milhares de trabalhos na área da comunicação muito úteis para um determinado grupo de trabalhadores, já que sempre trabalhei para entidades de classe, mas sempre eram feitos segundo a necessidade daqueles que me remuneravam. A liberdade de pautar-se é pouco compreendida e custa muito para aquelas e aqueles que ousam.

Liberdade para um jornalista significa poder entrevistar e pautar os temas que lhe interessam. Isso é impossível nas mídias empresariais que negociam o preço de cada palavra e imagem publicadas. Por isso é imenso o desafio de garantir a viabilidade financeira de um Portal independente, como Desacato, onde as pautas não podem ser cobradas de moradores de ocupações, estudantes, indígenas, população em situação de rua, desempregados e quilombolas.

Leia mais: Fui traída e você também. Por Claudia Weinman.

Visibilizando a “A Outra Informação” obtivemos em 2019: 3 milhões, 665 mil, 627 acessos ao Portal e Facebook de Desacato. Nossas jornalistas e comunicadoras são principalmente mulheres, negras, LGBTs e agricultoras. É mais do que identificar-se com as pautas dos excluídos, é ser e saber o que sentem. É viver com salários muito pequenos e não perder a compreensão do papel da cultura, da formação teórica e a solidariedade.

Muitos podem identificar-se com a liberdade, mas não com o preço que ela cobra dos que se colocam ao lado dos mais explorados e dos mais criminalizados. A equipe de Desacato já foi gaseada, ameaçada de morte, perseguida pela polícia e cerceada nas casas do povo. Ela trabalha sem transporte, com raros equipamentos mas com uma vontade quase insuportável de produzir esse jornalismo livre que está onde ninguém mais está.

É assim que os números seguem crescendo e assim lançamos, ano após ano, os novos desafios. Em 2019 foi a grade com 12 programas e uma docuficção de 1h14minutos que marcou os 40 anos da Novembrada. Em 2020 será o Jornal dos Trabalhadores e Trabalhadoras Diário, a mini série Santa e Rebelde e dois documentários: Semente, sobre a produção agroecológica em Santa Catarina e Miséria, sobre a precarização e financeirização do trabalho.

Leia mais: Quem é Desacato?

Nossa Redação está aberta todos os dias ao jornalismo e à vida. Em breve, nosso estúdio de Rádio e TV também estarão porque para os tempos atuais nada que já fizemos é suficiente. O projeto que tenta arrebentar todas as formas de vida no planeta será enfrentado por Desacato os 365 dias do ano, noite e dia, com toda ousadia, profissionalismo e compromisso de classe que tivemos por 13 anos.

Outros grupos possuem suas histórias, mas só Desacato, no Brasil, se organizou numa Cooperativa socialista, feminista e classista. Pagamos um preço alto por tudo isso, mas é o caminho que vamos continuar trilhando e não estamos sós.

Rosangela Bion de Assis

Rosangela Bion de Assis é jornalista, poetisa e presidenta da Cooperativa Comunicacional Sul.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.