O Livro dos Sonhos – parte final. Por Guigo Ribeiro

Por Guigo Ribeiro, para Desacato.info.

Imagem: Reprodução

Passadas algumas semanas, a constatação óbvia: ter em mãos um livro que revelava os
sonhos de nada adiantou. Ainda tinha alguma dúvida se o mesmo não ferrou tudo de
vez. Em todo caso, o instante entre se desfazer daquelas páginas e procurar outra ajuda
foi ponte entre continentes.
Certo fim de tarde, pensando sobre o que vivia, encontrou algum consolo sobre sonhar
sonhos absurdos e o quão isso já era parte de sua rotina. Porque, pensava, a coisa não
poderia piorar. No mais, criaria recursos sobre “foi só um sonho” e voltar ao sono.
Como mágica, ventos suaves balançaram suas cortinas. Isso em uma noite em que não
sonhou com absolutamente nada. Do jeito que deitou, dormiu.  Pela manhã, constando
este evento inédito, sorriu. E sentiu que, enfim, estava curado. Pegou o livro e fez
relativa cerimônia para sua despedida. No constrangimento da lata de lixo, o enterrou.
Durante o dia, tudo natural. Noite idem. Deitou e dormiu de pronto. E não estava
curado.  Sonhou com um dia exageradamente laranja e o tempo tornando-se palpável.
As pessoas davam sucessivos tchaus para a partida dos minutos e choravam quando
estes encorpavam e tornavam-se horas. A vida ida nitidamente escorrendo pelas mãos e
havia consciência.  O homem sofria duas vezes. Pelo seu tempo que também ia e pela
dor alheia. Não havia diálogo. Tudo era solto:

– Que horas são?
– Que horas são agora?
– Horas?
– Horas… horas…

Andava e ouvia a angústia em torno das horas. Se desesperou. E acordou com a dor de
um relógio funcionando. Pensou em desenterrar o livro. Antes, tarefas que teria para
fazer fora de casa. Faria depois. E andou cabisbaixo pelo tempo. Encarou tudo com
certa melancolia. Filas, senhas. Rumo ao lar, um sujeito o abordou.

– Rapaz… que horas são?

Seu corpo gelou. Uma possibilidade: e se os sonhos não fossem só sonhos, e sim,
profecias? Entrou apressado e cavou o quanto para achar o livro. Sem sucesso.  Voltou para a rua. Precisava encontrar outro livro. Outras palavras. Foi até a banca e examinou
cuidadosamente os títulos. O "Vou Revelar Seu Sonho" estava em falta.

– Quero este! – apontando.

Em casa, abriu e correu os olhos pelas páginas. Achou linda a capa. E o título: Bíblia
Sagrada.

 

Guigo Ribeiro é ator, músico e escritor, autor do livro “O Dia e o Dia Que o Mundo Acabou”, disponível em Edfross.

A opinião do/a autor/a não necessariamente representa a opinião de Desacato.info.

#AOutraReflexão
#SomandoVozes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.