O caso da aula em Recife é apologia ao nazismo?

2017-04-19 11:47

Gerou polêmica nas redes sociais, nas últimas semanas, as fotos divulgadas pelo Colégio Santa Emília, de Recife, de uma aula temática de História sobre o nazismo. Nas imagens [confira na galeria abaixo], que fazem parte de uma postagem para promover o colégio, o professor aparece dando aula em uma sala toda ambientada com bandeiras e símbolos nazistas. Ele mesmo se veste como um ditador.

Diante das críticas, o colégio apagou a postagem e divulgou uma nota em que consulta um advogado e afirma que usar essas simbologias para fins didáticos não constitui apologia.

Para tratar do assunto, Fórum falou com a colunista Adriana Dias, que é antropóloga e pesquisadora da Unicamp e especialista no assunto, tendo sido autora do mais completo mapeamento do neonazismo no Brasil. Ela respondeu aos questionamentos em um texto que você lê abaixo.

O caso da aula em Recife: é ou não apologia

Por Adriana Dias

As redes balançaram. Facebook e Twitter entraram numa briga com o Colégio Santa Emília, de Recife (PE), após este postar em sua fanpage fotos de uma aula sobre nazismo, na qual o professor “ambientou” a sala com bandeiras com suásticas e se vestiu de ditador hitlerista. Criticado por muitos, inclusive por judeus, o colégio se defendeu em nota, se dizendo ofendido por manifestações de ódio. Procurou advogado, que opinou: desenvolver material para fins didáticos não é apologia ao nazismo. Sou consultora de parlamentares sobre o tema.

Como eu lido com o tema há mais de uma década, permito-me realizar algumas considerações:

O que significa apologia? Apologia é um discurso (uma ação, tida como um discurso também) que tem por fim justificar, defender, louvar alguém ou alguma coisa.

Obviamente, espero que o professor não tenha tido a intencionalidade do dolo. Espero, mesmo. Mas, houve, sim, apologia. Porque não foi simplesmente um desenvolvimento de material para fim didático. Foi uma sala toda ambientada, completamente ambientada com louvor ao nazismo, com bandeiras, lembrando a sua época de opulência. O professor poderia ter feito uma suástica, poderia ter colocado no quadro, e explicado seu símbolo. Poderia. Mas, vestir a sala inteira de panteão nazi, É APOLOGIA, SIM.

Se houve um só aluno ou um só expectador contaminado pela “glória do momento, pior ainda.

Chamar as reclamações dos judeus, VÍTIMAS HISTÓRICAS DO NAZISMO, de manifestações de ódio… então.

Ah, como custa pedir desculpas. Isso é prova de totalitarismo também. Além de que a melhor forma de falar desse tema é sempre abordar a devastação que trouxe a humanidade, e não pendurando suas bandeiras em panteão. Menos, gente. BEM MENOS.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Reprodução/Colégio Santa Emília.

Fonte: Revista Fórum.

Deixe uma resposta