Nota de repúdio dos TAEs-UFSC à nota de repúdio da Reitoria

Causa-nos espanto a atual gestão produzir uma nota de repúdio da ocupação da sessão do Conselho Universitário do dia 24/11/2015. A mesma gestão que se conclama democrática e aberta ao diálogo, acirrou os ânimos da comunidade universitária ao procrastinar a entrada da EB$ERH na pauta do CUn. O relatório da Consulta Pública da EB$ERH está pronto desde maio, mas somente depois de perder a eleição a Reitora mandou o processo para o Conselho. O relator escolhido teve a responsabilidade de produzir, em apenas duas semanas, um parecer de um processo com cerca de 2000 páginas.

O HU/UFSC chegou nessa situação caótica para justificar a sua privatização. Se há algo a ser problematizado é o silêncio e a conivência das direções do Hospital e das Reitorias da UFSC em relação à precarização do nosso Hospital Universitário, culminando num debate simplório do “ser a favor ou contra o HU” por meio da adesão à EB$ERH.

A violência institucional travestida em renovação é uma marca da atual gestão, pois sustenta uma farsa que propicia uma tragédia e o acirramento dos ânimos de todos. Desde 2012, a questão da EB$ERH entrou em pauta na UFSC. A partir daí, a gestão Roselane e Lúcia, e os demais gestores, vêm se negando a fazer uma discussão madura e responsável sobre o tema, bem como já fizeram com outros temas de relevância institucional, como a jornada de trabalho dos técnicos-administrativos em educação e a institucionalização dos campi, por exemplo. Aliás, essa é a tônica dessa Administração: não dialogar efetivamente e sustentar uma posição pseudo-democrática. Os girassóis murcharam não somente pelo excesso de chuva. Roselane e Lúcia: a responsabilidade pela ocupação do CUn é de vocês!

________________________________________________________________________

TAEs em luta!

Confira aqui a nota de repúdio publicada pela Reitoria da UFSC: http://blogdagestao.ufsc.br/2015/11/25/nota-de-repudio-3/

Fonte: TAEs Livres.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.