Nota de repúdio à expulsão [email protected] estudantes [email protected] kilombados na Moradia Estudantil da UFSC

O coletivo Mãe Àfrica vem por meio desta repudiar as ações da atual Reitora, Pró-Reitoras e demais membros da Comissão de Permanência Estudantil que agem de forma mecânica e desumana com @s estudantes filhos da classe trabalhadora da Universidade Federal de Santa Catarina, burocratizando o método de acesso aos programas de assistência/permanência estudantil. @s estudantes colocaram-se em luta ocupando vagas que estavam ociosas nos alojamentos com intuito de buscar o diálogo com os gestores da instituição e a resposta mais uma vez foi burocrata, burguesa e opressora, impondo uma reintegração de “posse”, ameaçando @s estudantes com o braço repressor do Estado, a Polícia Militar, que genocida a população negra e que até a ONU já pediu sua extinção.

A luta [email protected] estudantes é legítima e tem nosso apoio, pois vivemos e assistimos essa contradição nas Universidades brasileiras, “incluem com cotas e excluem com a permanência”. Mas a luta do nosso povo não iniciou-se hoje. Somos força, somos luta, somos coletivo, bebemos na fonte revolucionária ancestral africana e VOCÊS NOS DEVEM ATÉ A ALMA.

Reiteramos aqui nosso repúdio aos burocratas, racistas, machistas, lgbtfóbicos e elitistas da Universidade Federal de Santa Catarina.

’tentaram nos enterrar mas não sabiam que éramos sementes’’

Coletivo Mãe ÁFRICA, Rio Claro 31 de Janeiro de 2016.

Foto: Captura de Tela

Fonte: Coletivo Mãe África.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.