Nota de falecimento

Por Luciane Recieri, para Desacato.info.

Morreu hoje, enquanto dormia, a borboleta. Morreu enquanto eu dormia. Enquanto amanhecia. Morreu porque o pretérito é imperfeito quando olhamos demais pra trás. Morreu porque o futuro não existe. Morreu porque não aguentou esperar as promessas da primavera.

Não dissemos palavra sobre a primavera, nada além do que aprendem as borboletas ainda no berçário. Estava hospedada aqui, na Casa dos Pardais, 4, desde sexta-feira, essas sextas pesadas que têm feito definitivamente. Não tendo a quem deixar seus pertences, vou soprá-los no mesmo canto do calçamento, lugar em que, náufraga, pedia socorro. Eu sinto muito. Eu sinto por esse mundo que se tornou um pouco mais pesado e atrasado e cinza com a perda lastimável de mais uma borboleta. Menos uma a dizer que o dia é dia, que a tarde é tarde e que a noite é a parte que desbeiça pra madrugada feito bebum que ressona o vapor barato e essencial. Menos uma a dizer o quanto nós, humanos, perdemos tempo e nos tornamos coisas sem graça.

NB: está sendo velada no quarto rosa, embaixo da caixinha com formato de maçã, isso pra que o vento não a leve.

 

Luciane Recieri é cientista social e escritora, em Jacareí /SP.

 

 

 

Foto: Construindo Casas Clean.

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns! pelo introito belo e triste Luciane Recieri, vamos mudar esta face que nos assombra a todos, como você diz: “tornamo-nos mais pesados” ????Bom Dia, que bom amiga, que foste tu a aparecer, esta manhã com tão lindo post, a solução está no ensino e no trabalho, e não somente no”choro” arregaçar as mangas e apontar os defeitos e as qualidades… sentei no PC com um firme propósito de criar esta nova página. Ocupar-nos o quanto podemos da educação, e convidando a todos a participar, temos bons jovens, formandos ou não, mais cheios de qualidades e talentos, vamos começar a caminhar, para diminuir todos os obstáculos e dificuldades que está fazendo nosso país, um país tão imenso e rico, no pior país do mundo…apequenado e estreito. Há muito o que fazer…. vamos fazer… e sem interesse, apenas o de agregar, já se tornará, assim, um país economicamente sustentável para todas as classes, cores, crenças e demais opções… ao trabalho. fica meu convite. ???gostaria de seu texto fazer parte como uma introdução do meu projeto, desculpe minhas falhas, ajude-me a aprimorar-mo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.