No Espírito Santo, assentados comemoram 30 anos do assentamento Castro Alves

Foto: Divulgação MST.

De 8 a 10 de junho os trabalhadores e trabalhadoras assentamento Castro Alves em Pedro Canário, extremo norte do Espirito Santo, comemorarão seu 30º. As três décadas de um dos primeiros assentamentos conquistados pelo MST no estado serão comemoradas com três dias de muita festa.

A assentada Rosane de Souza Pinheiro fala sobre a importância de relembrar os anos de histórias do acampamento, resgatando lembranças do coletivo, os conflitos e também as conquistas.

“A festa pretende ser um grande marco no assentamento, um momento histórico e importante que marca os 30 anos, principalmente para mostrar aos mais novos como foi o início de tudo” afirma a filha de assentada e moradora do assentamento Castro Alves.

A festa começa na sexta feira (8) com concurso de quadrilha, seguido por show de forró com Chapéu de Palha e Neto Nunes. Para o sábado (9) estão programadas apresentações culturais de hip hop, capoeira, Folia de Reis, karatê, moda de viola, zumba e quadrangular feminino.

A abertura oficial vai contar com a mística preparada pelos educadores e educandos da E.E.E.F. Três de Maio e com shows de Elias Wagner, João Victor e Vinicius e Adriano e seus teclados. No domingo (10) uma celebração ecumênica e um torneio de futebol encerram as atividades.

Histórico 

O assentamento Castro Alves tem sua história de luta. Em 20 de Setembro de 1986, o MST realizou, com aproximadamente 300 famílias, a ocupação, de mais um latifúndio improdutivo, numa área da Floresta do Rio Doce, no Distrito de Nestor Gomes, município de São Mateus.

Dessa ocupação resultaram os Assentamentos de Juerana (área que já havia sido ocupada), de Rio Quartel, em Linhares (20/02/1987, 45 famílias ocuparam a área), assim, em 25 de Dezembro de 1986 cerca de 90 famílias ocupam a Fazenda Castro Alves, em Pedro Canário.

No final de 1987, 500 famílias tentaram ocupar a fazenda Scardini, em Nova Venécia, barrados pela repressão policial e dos pistoleiros, eles aderiram à resistência e montaram um grane acampamento na beira da estrada. Todavia, foram obrigados a sair do local e se transferiram para o município de Pedro Canário, na Fazenda Castro Alves, onde permaneceram enfrentando perseguições, prisões e ameaças. Essas famílias viram de Jaguaré, Nova Venécia, São Mateus, Linhares, Montanha, Pinheiros. 3 de Maio de 1988 – É criado o Assentamento Castro Alves, Finalmente é a Emissão de Posse, somos assentados.

Para mais informações, clique aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.