No aniversário de Floripa relançamento da Campanha Ocupe a Ponta e venha para um piquenique

Florianópolis completa 347 anos no próximo dia 23 de março. Uma data que também é um convite para a reflexão, afinal o que temos para comemorar?

Vivemos na dita “Ilha da Magia”, mas o fato é nossa cidade tem se tornado um lugar mais difícil de se viver. O trânsito é cada vez mais intenso, perigoso e caótico, na capital de pior mobilidade urbana do Brasil. O poder público pouco faz para melhorar o transporte coletivo na cidade e ainda deposita toda sua energia em viadutos e “asfaltaços”, com um claro viés eleitoral e pouco efetivo. Daqui a pouco, só mesmo com vassoura voadora para se locomover.

Novas ciclovias não são construídas. Prédios se erguem aos montes, após as empresas de construção civil terem sido vitoriosas no embate jurídico por um novo Plano Diretor, quando uma decisão do STJ, em 2017, concretou mais de 3 anos de participação popular legítima, através de dezenas de audiências públicas. Muitos destes prédios sequer servem de moradia, sendo apenas “investimentos” que engrossam as trágicas estatísticas do déficit habitacional no país, expressando a dura realidade de classes: imóveis vazios, nas áreas centrais, e milhares de trabalhadores pagando preços exorbitantes pelo aluguel de moradias precárias e distantes de seus locais de trabalho.

O dinheiro tem falado mais alto e o dinheiro grosso tem projetos para a cidade. A avenida beira-mar norte é região emblemática neste processo, com o projeto da faraônica “Megalo-Marina”, sendo o principal deles. O projeto prevê vagas para 684 embarcações (624 privadas e 60 públicas), destinadas ao lazer de uma elite, sendo que serão necessárias 624 vagas para estacionamento de veículos. Além dos problemas com a mobilidade urbana e a poluição dos veículos, temos o impacto ambiental que atingirá a biodiversidade e a saúde do ecossistema e prejudicará diretamente o trabalho feito pelos pescadores artesanais da Grande Florianópolis, atingindo centenas de famílias que dependem da pesca e da maricultura na região.

Entendemos que é necessária uma reflexão coletiva sobre a cidade que estão projetando e construindo para “nós”. Mais do que reflexão, é necessária ação. Precisamos mostrar para mais pessoas que existem espaços de resistência na cidade e a Ponta do Coral é um símbolo desta “teimosia” de quem ainda acredita em um projeto de cidade mais justa, humana, saudável e sustentável. Este ano, completa-se 40 anos de luta para devolver a Ponta do Coral para a população e, ali, criar o Parque Cultural das 3 Pontas, unindo a Ponta do Coral, do Goulart e do Lessa.

Por isto, estamos relançando a Campanha “Ocupe a Ponta do Coral”, com convite aos artistas, coletivos, movimentos sociais a ocuparem a área, levando até ela arte, lazer, cultura, piqueniques, oficinas, rodas de conversa, esporte e o que mais a criatividade deixar. Faremos a divulgação e estamos [email protected] a construir [email protected] as atividades. Marque um dia (ou dias!) e nos mande a divulgação.

Como primeira atividade do ano, estamos chamando todos e todas pra um Piquenique na tarde do dia 23/03. Portanto, traga sua canga ou cadeirinha e comes e bebes para compartilhar.

O Carnaval acabou, mas, como inspiração, fica o Samba da Ponta do Coral, escrito em 2015, como um convite para resistir com alegria. Afinal, como diria Emma Goldman, “Se não for para dançar, essa não é minha revolução”.

“Não coloquem mais aterro

Concreto e vidro sêo doutor

Pois na ilha da magia

A beira-mar engarrafou

Da Natureza formosa

Que o Poeta eternizou

Ponta do Coral

Resiste o nosso amor!

Não queremos hotel

Nem aterro a beira-mar

É preciso dar um basta

É preciso preservar

Meu presente pro futuro

Minha gente apontou

Parque das 3 Pontas

Nosso projeto de amor!”

E vamos à luta!

Pelo Parque Cultural das 3 Pontas e pelo Direito à Cidade!
Por uma cidade para [email protected]!
Movimento Ponta do Coral 100% Pública

Texto Inspirado no “AbraCidade: Manifesto por uma Floripa do Bem Viver”, escrito em conjunto com a AMOCAM e o Coletivo PIRA.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.