Nem tão silencioso assim

Foto: Arquivo Desacato.

Por Claudia Weinman, para Desacato. info.

Desumano, cruel, malvado, desalmado, perverso, bárbaro, atroz. Tem vários sinônimos. Copiei apenas uma linha.

Não é elementar. Nem mito. Não é lenda, fantasia que a cabeça possa criar. É estrutural, por isso, desumano sim. Poderia chama-lo de monstro. Mas, esse, por sua vez, vive nas manifestações culturais de várias origens podendo ser fictício ou carregado de algum fundo de verdade.

Não posso chamá-lo apenas: “Homem”. Menos ainda: “Mulher”. Mas posso dizer que ele não é assim, tão silencioso. Por vezes, torna-se um câncer mesmo, muito embora não seja “doença”. Invade sim, tecidos e órgãos, porém, multiplica-se, multiplicou-se, ordenou-se, predominou, tornou-se: Patriarcado.

O machismo. Foi à primeira matéria que publiquei no dia: “Mais de 100 casos de feminicídio nos primeiros 20 dias desse ano”.

Tocou-me a vida. É parte de mim, de ti, nesses casos todos.

Não é silencioso. Se fere, machuca, faz chorar, se deixa nervosa, se causa depressão, se prejudica a saúde, se mata na hora, se leva aos poucos. Deve ser combatido, na casa, na rua, no trabalho, na militância, no movimento, nas ideias, na vivência.

Nem eu, nem elas, desejamos ser a “proletária do proletário*”. Nenhum homem do meu lado, do teu lado, deve concordar em manter essa estrutura que chamo sim, de morte. Não é simples, se fosse, tudo seria diferente. Mas é necessário insistir, lutar.

Romper com ele gera dor, mas não será mais dor se essa questão for intermitida. Isso precisa acontecer. É questão de vida, é tema de saúde, é origem do que falamos quando escrevemos ou pronunciamos a palavra: Transformar.

Com o machismo não se negocia.

*Com palavras de Flora Tristan ao citar a “proletária do proletário”. 

_

Claudia Weinman é jornalista, diretora regional da Cooperativa Comunicacional Sul no Extremo Oeste de Santa Catarina. Militante do coletivo da Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP) e Pastoral da Juventude Rural (PJR).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.