Nasa mostra que incêndios na Amazônia podem ser vistos do espaço

Em sua rede social, a Nasa diz que, apesar de ser uma temporada de incêndios no Brasil, o número de queimadas é recorde e reforça os dados do Inpe

São Paulo – Imagens captadas pela Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) mostram que é possível ver do espaço a fumaça causada pelo aumento no número de focos de incêndio na Amazônia. O satélite Suomi ainda registrou que a fumaça se espalhou por vários estados e atinge países vizinhos do Brasil, como a Bolívia.

Por meio de sua rede social, a Nasa diz que, apesar de ser uma temporada de incêndios no Brasil, o número de queimadas é recorde e cita os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Especiais (Inpe). “No Brasil, quase 73 mil incêndios foram registrados até agora este ano. O Inpe está vendo um aumento de 83% em relação ao mesmo período de 2018?, publicaram.

De acordo com dados do Programa Queimadas, do Inpe, a Amazônia concentra 52,5% dos focos de queimadas de 2019. O Cerrado aparece em segundo lugar, com 30,1% dos focos de incêndio, seguido pela Mata Atlântica, com 10,9%.  Apesar da seca, há mais umidade na região amazônica hoje do que havia nos últimos três anos, conforme estudo do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam).

Organizações não-governamentais de todo o país dedicadas à proteção ambiental protocolaram, na última terça-feira (20), uma representação junto à Procuradoria Geral da União e Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, com o objetivo de investigar a improbidade administrativa praticada pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (Novo-SP), sobre a falta de ações para combater os incêndios.

De acordo com nota técnica elaborada pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), o aumento no número de queimadas na região amazônica tem relação com a prática de “limpar” áreas recém-desmatadas e outros tipos de terreno. O estudo aponta que o desmatamento é o provável fator responsável por este cenário, e não a estiagem, como defendeu Ricardo Salles, em seu perfil no Twitter.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.