Não esqueceremos: Quem eram os 10 meninos que perderam suas vidas no CT do Flamengo?

1 ano se passou do incêndio que arrancou a vida dos 10 meninos do Ninho. Hoje, ainda sobram cicatrizes, dores e memórias. Conheça aqui um pouco mais de quem eram cada um dos 10 jovens que tiveram seus sonhos arrancados no incêndio do Ninho do Urubu.

Por Rafael Campos e Calvin Monteiro.

No sábado 8 de fevereiro, se completou um ano do incêndio no Ninho do Urubu, que matou 10 jovens das categorias de base do Flamengo. De lá até aqui, ainda não houveram responsabilizados pelo caso, que escandalizou o mundo inteiro, ao verem um clube de gigante porte do futebol brasileiro, que deixava meninos de 14 a 17 anos, dormindo em contêineres, sem alvará para funcionamento.

Aqui, como parte de uma série de matérias em homenagem aos 10 jovens, publicamos um texto, com informações de uma matéria de 2019 do portal El País.

Conheça um pouco mais sobre quem eram os 10 jovens sonhadores que tiveram seus futuros cruelmente arrancados de sí naquela noite de 8 de fevereiro de 2019:

Arthur Vinícius

Arthur nasceu em Volta Redonda, no Rio de Janeiro, e faria aniversário um dia após o incêndio. Sua posição de origem era zagueiro. Ele vivam com sua prima, sua tia e sua mãe na sua cidade natal, antes de ir para o “alojamento” no Ninho do Urubu. O início da busca pelo seu sonho de se tornar jogador profissional começou na cidade natal, na categoria de base do Volta Redonda, chegando ao Flamengo em 2017.

Athila Paixão

Athila Paixão era atacante, goleador. Estava no Flamengo desde 2018. O garoto, sergipano da cidade de Lagarto, o orgulho da cidade, por sinal. Com apenas 14 anos, já havia se destacado em 2018 na Copa Zico, torneio organizado pelo ídolo do Flamengo, marcando 3 gols na competição. Era uma grande aposta para o futuro do futebol brasileiro.

Bernardo Pisetta

Bernardo, 14 anos, era goleiro. Nascido em Indaial, Santa Catarina, se destacou muto jovem jogando na cidade de Curitiba. Passou por Trieste, equipe amadora do Paraná, depois pelo conhecido Athletico Paranaense. Lá ganhou campeonato estadual, e foi o goleiro menos vazado em 2017. Chegou ao Flamengo em 2018;

Christian Esmério

Christian também era goleiro. Já desde jovem se destacava muito, e era observado por clubes europeus nas categorias de base. Foi campeão da Copa Nike Sub-15 de 2018, eliminando Grêmio, e superando o São Paulo na final, pegando dois pênaltis. Era talvez o goleiro mais promissor do clube, aos 15 anos. Foi convocado algumas vezes para as categorias de base da seleção, e havia estado nos últimos treinos da seleção sub-15.

Gedson Santos

Gedson, ou Gedinho, como era conhecido pelos colegas, tinha 14 anos. Foi aprovado 2019 nas categorias de base do Flamengo, e estava no CT a apenas dois dias quando aconteceu o incêncido. Ele havia jogado pelo Athletico Paranaense e também do Trieste, de Curitiba, nas categorias de base.

Jorge Eduardo

Jorge completaria 16 anos uma semana após o dia da sua morte. Nascido na cidade de Além Paraíba, na fronteira de Minas Gerais com o Rio de Janeiro, chegou ao Flamengo com 12 anos. Passou dois anos morando na casa de amigos na capital carioca, até se mudar para o CT do Flamengo aos 14 anos. Era volante, e capitão do clube nas categorias de base. Foi campeão do carioca sub-15 em novembro de 2018.

Pablo Henrique

Pablo chegou ao Flamengo no meio de 2018. Passou pelas escolinhas do Galo, e da Inter de Milão no Brasil antes de chegar ao Flamengo. Tinha apenas 14 anos, mas já se destacava muito pelas boas atuações. Natural da cidade de Oliveira, em Minas Gerais, era primo do zagueiro Werley, jogador profissional do Vasco da Gama.

Rykelmo Viana

Rikelmo era o mais velho de todos os garotos, com 16 anos, e completaria 17 no dia 16 de fevereiro de 2019. Foi a última vítima identificada pelos bombeiros após o incêndio. Nasceu em Limeira, cidade do interior de São Paulo, próxima de Campinas. Jogou na Portuguesa Santista, time tradicional do estado de São Paulo, e se destacou no Campeonato Paulista de 2016, chamando a atenção do Flamengo. Era capitão do sub-17 do Flamengo. Era volante de origem, e seu nome era uma homenagem ao craque argentino do Boca Juniors, Juan Román Riquelme.

Samuel Thomas Rosa

Samuel era lateral-direito, e tinha 16 anos. Era um jovem alegre, conhecido pelos companheiros por estar sempre sorridente. Foi campeão da Copa Nike e vice-campeão da Copa Votorantim em janeiro de 2018. Faria aniversário no dia 4 de abril, e despertou a ira de seu tio, Sebastião Rodrigues. “Um clube como o Flamengo não pode colocar crianças pra dormir dentro de contêiner. Deveria ter um cuidado especial com os meninos. Essa tragédia poderia ter sido evitada”, disse o tio.

Vitor Isaías

Vitor era natural de Florianópolis, Santa Catarina. Era conhecido pelos colegas como Vitinho. Atacante, camisa 9 do sub-15 do Flamengo, tinha apenas 14 anos. Começou a trajetória nas categorias de base no Figueirense, passou pelo Athletico Paranaense, e como Bernardo Pisetta e Gedson, pelo Trieste. Chegou ao Flamengo em 2018

Com informações extraídas de matéria do El País, de 10 de fevereiro de 2019

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.