Mulheres do campo ocupam Assembleia Legislativa em Goiás

O ato faz parte das ações da semana do dia 8 de março em alusão ao Dia Internacional da Mulher

Ocupação na Assembleia Legislativa de Goiás. Foto: Fetraf GO

Contraf Brasil.- Na semana do Dia Internacional das Mulheres, 8 de março, o coletivo das mulheres do campo do estado de Goiás, ocuparam a assembleia legislativa num ato político para denunciar a violência contra as mulheres e o descaso com dos Governos com a reforma agrária.

Num ato unificado, as mulheres devem entregar a pauta de reivindicações que dentre os itens também consta o pedido de regulamentação da Lei Estadual da Agricultura Familiar, desburocratização e liberação dos recursos do Pronaf Mulher e demais políticas específicas.

Ainda, as mulheres lembram que apesar da proposta da Reforma Previdenciária ter saído da pauta na Câmara dos Deputados, a medida pode ser retomada pelo Governo conservador caso haja a desmobilização. Portanto, os atos e protesto devem manter a resistência na luta contra a reforma da previdência.

A Fetraf Goiás participa das ocupações com mulheres agricultoras familiares de vários municípios.

Mulheres no Campo

No Brasil rural vivem mais de 14 milhões de mulheres. Pesquisas apontam que 45% do alimento produzido no campo são plantados e colhidos pelas mulheres, no entanto, na sua maioria, em condições precárias agravadas pela distância das áreas urbanas e dos serviços públicos. Mulheres rurais constituem mais de 25% da população mundial, e a maioria de 43% das mulheres representam a força de trabalho agrícola mundial.

As mulheres rurais são responsáveis, em grande parte, pela produção destinada ao autoconsumo familiar e contribuem com 42,4% do rendimento familiar. O índice é superior ao observado nas áreas urbanas, de 40,7%.

A diferença mundial de salário entre mulheres e homens se situa em 23%, nas áreas rurais pode chegar até 40%.

Violência

Os números crescem cada vez mais e um dos motivos é a injustiça e impunidade aos agressores. A cada dia, no Brasil, 11 mulheres são assassinadas, em média, vítimas de feminicídio, morte violenta de mulheres por razões de gênero.

Ainda, por hora 503 mulheres sofrem violência física e a cada 11 minutos 1 mulher é estuprada no Brasil, colocando o país no 5º lugar do Ranking de Violência contra as Mulheres.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.