MPF pede responsabilização criminal e anulação de atos de Alvim

Dramaturgo reproduziu discurso nazista durante anúncio de premiação artística para conservadores

Foto: Ronaldo Caldas.

Por Victor Ohana.

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), do Ministério Público Federal (MPF), solicitou a responsabilização administrativa e criminal do ex-chefe da Secretaria Especial de Cultura, Roberto Alvim, por ter reproduzido discurso nazista em vídeo institucional.

Segundo o MPF, a representação foi encaminhada nesta segunda-feira 20 para a Procuradoria da República no Distrito Federal. A procuradora Deborah Duprat, que assina o documento, destaca que a propositura das ações de responsabilização busca evidenciar que não há espaço para flertes com regimes autoritários que fizeram política de governo a partir da ideia de superioridade racial.

O texto argumenta que o vídeo reproduziu, quase que literalmente, as palavras de Joseph Goebbels, ministro de Adolf Hitler, em pronunciamento para diretores de teatro, em 1933. No plano estético, o então secretário fez o discurso em ambiente similar ao de uma foto de Goebbels, com uma ópera de Richard Wagner, compositor favorito dos nazistas, como música de fundo.

“Todo esse conjunto permite afirmar que o agente público em questão tem admiração, pelo menos, pela perspectiva de arte do nazismo. E como sob o seu cargo se desenvolviam todas as medidas relativas à cultura, não é demasiado concluir que, no período em que o ocupou, levou para essa área a compreensão estética que tão desabridamente revelou no vídeo”, sustentou a procuradora.

A representação também pede a anulação dos atos no período em que Alvim esteve no comando do órgão, principalmente, o Prêmio Nacional das Artes, projeto voltado para artistas conservadores.

“Tem que ser anulado o edital que lançou o Prêmio Nacional das Artes. Não só porque o Prêmio é o fundamento imediato do vídeo, mas porque o seu edital reproduz a ideologia nazista de outorgar ao Estado o poder de eleger quais formas de manifestação artística devam ser valorizadas”, diz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.