Movimento Transborda ocupa espaços no RMR e Agreste com programações culturais

Com capacidade de abarcar projetos, o Transborda dá continuidade a sua segunda edição em Pernambuco. Após início da programação com o Transborda Capiba, do Sesc Casa Amarela, outras unidades da Região Metropolitana do Recife e do Agreste vão levar atividades culturais, até novembro, para vários espaços com preços populares. As entradas custam R$ 20 e R$ 10 (meia). A programação completa está no site www.sescpe.org.br.

O Transborda, do Sesc, traz apresentações de teatro, dança, música e circo, exposição de arte e rodas de conversas. “Queremos refletir sobre a tarefa de mensurar o impacto da cultura das artes na economia do país e, além disso, levantar questões como acessibilidade e formação de públicos direcionado ao processo de aproximação da população da cena artística”, explica a coordenadora do projeto, Rita Marize.

Nesta edição, o projeto fortalece a sua grade e inova seu olhar sobre o setor ao se conectar com projetos conceituados desenvolvidos por mais outras cinco unidades do Sesc: Transborda – Na Onda da Dança (Piedade), Transborda – Diálogos das Manifestações Populares (São Lourenço da Mata), Transborda – CIT (Santo Amaro), Transborda – Usina Teatral (Santa Rita) e Transborda Mostra Pesqueira (Pesqueira).

Durante os três meses de Transborda, a programação contempla ações nas unidades e em espaços públicos, aumentando sua proximidade com a população, se integra ao programa Cena Expandida e aos projetos Câmbio Festival Internacional de Teatro de Pernambuco, Festival de Teatro do Agreste (Feteag), Teatro Experimental de Arte, em Caruaru, até chegar ao Cena Cumplicidades.

Destaques na programação

São muitas atividades, em diversos locais e municípios. A exemplo da Usina Teatral (Santa Rita) o evento acontece de 21 a 28 de setembro e vai realizar oficinas, mesas de conversa e espetáculos. Entre os convidados, está José Celso Martinez Corrêa, um dos maiores nomes do teatro brasileiro. Tendo como tema “Políticas do Intangível: o teatro sob (im)pressão”, o projeto conta com o apoio da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e do Centro de Formação e Pesquisa das Artes Cênicas Apolo-Hermilo. Durante os oito dias de programação, serão apresentados ao público 12 espetáculos com grupos representantes do Nordeste, que serão encenados no Sesc Santa Rita e nos teatros de Santa Isabel, Apolo e Hermilo Borba Filho, além de espaços abertos, como o Cais do Imperador. Haverá, ainda, mesas de conversa, lançamento de livros, baile temático, conferências e ações formativas com encenadores de todo o país.

A abertura acontece nesta sexta, dia 21, às 19h30, no Sesc Santa Rita, com apresentação do musical “Ritmo Kente”, da companhia Onze Produções, que traz à cena o universo peculiar do brega pernambucano. Logo após a encenação, no Salão de Eventos da Unidade, começa o Baile Ritmo Kente, com Kelvis Duran e Banda Ovelha Negra. Já entre as montagens, estão “Nuestra Senhora de las Nuvens”, do grupo Clowns de Shakespeare; “A invenção do Nordeste”, do Grupo Carmin, ambos do Rio Grande do Norte; e “Dinamarca”, do Grupo Magiluth, de Pernambuco. O evento terá também uma Mostra Pedagógica, com espetáculos de grupos de teatro formados por alunos da UFPE e de unidades do Sesc no estado.

Serão realizadas mesas de conversa e conferências. Uma delas é “O teatro no Brasil ainda é possível?”, com José Celso Martinez Corrêa. O encenador tem uma longa trajetória nos palcos desde a década de 1950 e se tornou conhecido pela montagem do texto “O Rei da Vela”, de Oswald de Andrade, além de comandar o Teatro Oficina Uzyna Uzona. O encontro será no Sesc Santa Rita no último dia do Usina, 28 de agosto, a partir das 18h.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.