Morte de Luiz Cancellier: Estado policialesco fascista?

Publicado em: 02/10/2017 às 16:56
Morte de Luiz Cancellier: Estado policialesco fascista?

Por Loureci Ci Ribeiro.

Em tempos de ESTADO DE EXCEÇÃO primeiro se condena, se priva a liberdade e se retira toda a condição de dignidade, se lincha publicamente, se nega o devido processo legal, de amplo direito de defesa e acusação de quem apenas é investigado e não réu.

Vemos o ódio, o bode expiatório de todas as nossas frustrações, vemos a falsa justiça, o falso moralismo/ética sendo manipulado pelos ditadores de plantão, em todas as esferas da vida pública nos poderes Legislativo, Executivo, Judiciário, os donos do poder e da mídia, o quarto avassalador poder, justiceiros de seus desejos privados e regras individuais, a impor suas versões únicas do processo legal, dos fatos e das suas narrativas, como espetáculo midiático de um circo de horrores, já conhecido na cultura dos anos da Ditadura.

Para quem interessa esta situação, que sociedade, que arranjo institucional humanista ético jurídico legal, que objetivos programáticos, direitos e deveres estão sendo afirmados?

Por quem e para quem?

Por que essa situação se realiza em meio à ruptura com a soberania do voto popular e que impõe as mais profundas Perdas de Direitos Trabalhistas e Sociais, privatizações dos Patrimônios Nacionais, corte nos orçamentos dos Serviços Públicos e ataques à Soberania Nacional???

Estas certamente são algumas das questões que envolvem o trágico e extremo ato do Reitor Cancellier.

Na narrativa da Imprensa Golpista os motivos tratam-se apenas de confronto pessoal com fatos da vida pública privada, com um caso de denúncia de corrupção e não uma guerra mortífera de terrorismo estatal fisicopsicossocial avassaladora, midiática sem fim, contra direitos individuais, coletivos e valores civilizatórios da humanidade.

Luiz Cancellier foi preso sem qualquer justificativa de fuga ou de obstrução objetiva de ação da justiça e de investigação. Afastado das suas funções e de acesso à UFSC.

Para além da imprensa golpista e dos donos do poder, lamento muito mais a silenciosa omissão e a contabilidade entre os democratas e ou de opositores creditando este fato apenas como efeito colateral nas disputas internas de organizações dominantes do poder reinante.

Para mim NÃO RESTAM DÚVIDAS:

O Reitor Cancellier da UFSC foi VÍTIMA DA GUERRA FÍSICA, POLÍTICA E  PSiCOSSOCIAL DO ESTADO DE EXCEÇÃO DOS GOLPISTAS, da sua IMPRENSA e truculência de um setor do MPF, mas também está na conta da nossa OMISSÃO ou INCAPACIDADE de pôr fim a este estado de coisas em curso e, em Defesa do Estado Democrático de Direito.

Meus sinceros pêsames à Democracia e em especial aos familiares e amigos do Luiz Carlos Cancellier de Olivo, que conheci como assessor do Deputado Nelson Wedekin na Novembrada em 1979, quando cheguei em Florianópolis.

Loureci Ci Ribeiro é arquiteto e urbanista e Militante da Reforma Urbana.

Deixe uma resposta