México registra mais uma morte de jornalista

Foi localizado na manhã de sexta-feira (6) o corpo do jornalista mexicano Edgar Daniel Esqueda Castro. O fotógrafo havia sido raptado por homens armados um dia antes no estado de San Luis Potosi, no México. Seu corpo foi encontrado nas trilhas México-Laredo nas proximidades do Aeroporto Internacional Ponciano Arriaga.

A esposa do jornalista afirmou que eles dormiam quando estranhos entraram em sua casa. “Disseram que eram agentes ministeriais, levaram Edgar pela garganta e o jogaram no chão, enquanto eles me apontavam uma arma”, disse ela.
“A Repórteres Sem Fronteiras (RSF) pediu justiça para identificar o mais cedo possível os responsáveis por este crime hediondo e garantir a segurança de sua família”, disse Emmanuel Colombié, diretor do Escritório da América Latina da RSF.
Edgar Daniel Esqueda Castro trabalhou para o jornal Metrópoli San Luis e o jornal digital Vox Populi de San Luis Potosí, onde cobria a seção policial. Ele também colaborou com jornais locais El Heraldo e Plano Informativo. Foi criador do Informar Potosino.
Em junho de 2017, quando cobria uma cena do crime, a polícia pegou sua câmera e o forçou a apagar as imagens. Depois disso, Castro apresentou uma queixa à Comissão Estadual de Direitos Humanos em San Luis Potosí. O Mecanismo Nacional de Proteção tomou consciência do caso e contatou jornalista para obter mais informações sobre sua situação de risco. Nenhuma medida de proteção foi concedida.
O México ocupa o 147º lugar entre 180 países no ranking mundial de liberdade de imprensa publicado pela RSF em 2017.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.