Menos de 40% dos servidores do Tribunal de Contas do Estado estão nas áreas de auditoria e fiscalização

O Sindicato dos Auditores de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado (Sindicontas/SC) fez um levantamento da distribuição dos recursos humanos no TCE/SC e constatou que setores diretamente responsáveis pela atividade de fiscalização e controle sobre as unidades jurisdicionadas do Tribunal, ou seja, Governo do estado e todos os municípios catarinenses, estão com menos de 40% do pessoal total do órgão. Isto significa que os outros 60% estão nos gabinetes dos conselheiros e nas atividades meio.

Os números demonstram o que o Sindicato vem apontando na campanha “Basta de Interferência” lançada em julho para divulgar decisões e normas que prejudicam o trabalho de fiscalização, ferem a autonomia do Tribunal e retiram investimentos da área fim.
Com este levantamento em mãos, o Sindicontas/SC quer mostrar à sociedade o verdadeiro perfil de um órgão de controle que deveria prezar pela fiscalização e auditoria das contas públicas. “Enquanto a atual gestão diz que devemos ser cães-guias e não cães de caça, demonstrando um descrédito ao trabalho dos auditores e o objetivo de não ser rigoroso com os gastos do Estado, prefeituras, autarquias e demais órgãos, os auditores de controle externo exigem respeito e precisam do apoio da sociedade para garantir a qualidade na utilização dos recursos públicos”, disse o presidente do Sindicato, Sidnei Silva.

Quantidade de servidores por setor:

Área-fim – 193 servidores (38,37%)
Gabinetes dos conselheiros – 183 (36,98%)
Área-meio – 118 (23,46%)
Outros – 6 (1,19%)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.