Médica que vaiou cubanos em 2013 será a responsável pelo programa federal

 

Imagem: Pixabay.

A atual presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, a pediatra Mayra Pinheiro, filiada ao PSDB, aceitou o convite na última terça-feira (4), para assumir o cargo de secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (STGES) do Ministério da Saúde – responsável pelo Programa Mais Médicos, além de políticas públicas de gestão da área e formação de profissionais no país.

Conhecida pela posição contrária ao Mais Médicos, Mayra Pinheiro foi uma das que participou da manifestação que recepcionou com vaias e xingamentos os médicos cubanos na chegada a Fortaleza, em 2013, para trabalhar no programa.

“O programa Mais Médicos não é e nunca foi uma solução sequer razoável para solucionar os problemas que motivaram sua criação. E o desfecho de agora deixa claro que a saúde da população brasileira não era a motivação da iniciativa. Trata-se de uma tentativa de retaliação, porque quiseram passar o atendimento primário de saúde para Cuba. E agora Cuba quer tentar desarticular o atendimento da população. Os médicos brasileiros não vão permitir”, escreveu a pediatra no Facebook em 15 de novembro, após Cuba anunciar que deixaria a iniciativa.

A pediatra disse que o convite é técnico, “não tem ligações políticas” e afirmou que o futuro ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, conhece sua atuação. Professora universitária, ela justificou ser capaz de estar no cargo pelo conhecimento científico.

Candidata ao Senado pelo PSDB nas últimas eleições, ela foi indicada da frente parlamentar da Medicina, da qual Mandetta é o líder.

Segundo ela, a correção de “distorções” do Mais Médicos será um dos focos de sua atuação. A legislação do programa federal contempla a formação médica, o ensino nas universidades, especialização de profissionais e o Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab).

Escravos: quem?

Logo após o anúncio do fim do convênio entre Cuba e o Brasil, a pediatra lançou pelo sindicato o programa “médicos por amor”. A iniciativa é buscar doutores voluntários para atuar, no Ceará, nas cidades onde existiam profissionais cubanos.

Até o dia 25 de novembro, teriam sido recrutados 211 brasileiros para atender nesses municípios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.