Maria do Rosário vai à Justiça contra deputado da tatuagem de Temer

Publicado em: 06/12/2017 às 16:18
“Abomino e irei à Justiça. Não desistirei”, declarou Maria do Rosário (Foto: AGPT)
Por Joelma Pereira.

Revoltada com o arquivamento de duas denúncias contra o deputado Wladimir Costa (SD-PA) pelo Conselho de Ética da Câmara na tarde de ontem (terça-feira, 5), a deputada Maria do Rosário (PT-RS), uma das atingidas pelo parlamentar, anunciou que acionará a Justiça contra o congressista. “Não levarei desse plenário nada que desonre a minha família. […] Abomino e irei à Justiça. Não desistirei, mostrando que essa Casa não é dos imorais, degenerados e dos corruptos. É de mães e pais honrados”, declarou.

“Não é a primeira vez que nesta casa vejo um desrespeito às mulheres, mas é a primeira vez que me sinto desrespeitada como mãe. Vossas Excelências são pais e mães, Vossas Excelências falam em defesa de seus filhos e eu falo em defesa da minha. Não permitirei. Não passarão. Não usem a imagem de qualquer criança ou adolescente, filho de um homem ou uma mulher parlamentar, na política, para agredirem seus país, suas mães. O Conselho de Ética deu um belo exemplo de como desrespeitar a nossa presença aqui”, ressaltou a deputada em plenário.

No caso que envolve Maria do Rosário,  Wladimir era acusado de ter divulgado fotos íntimas de uma filha da deputada. O parlamentar nega a autoria das publicações. Ao se defender da acusação de ter compartilhado fotos da filha de Maria do Rosário, ele afirmou que o número que teria disseminado as fotos não pertencia a ele. As imagens foram compartilhadas no fim de agosto e, para se explicar, o deputado apresentou documento da operadora afirmando que o número não é dele.

Na outra ação arquivada, o deputado que “tatuou” o nome de Temer no ombro era acusado de assediar uma das repórteres da rádio CNB, Basília Rodrigues. O relator do processo, Laerte Bessa havia recomendado o prosseguimento da denúncia na primeira versão de seu relatório, apresentado no início de novembro. Ontem (terça-feira, 5), o deputado mudou o entendimento e recomendou o arquivamento.

Em julho, quando o deputado tatuou “Temer” no ombro com tinta removível, a repórter da CBN pediu que Wladimir mostrasse a tatuagem, ao que o deputado respondeu, na frente de várias outras pessoas: “Para você, só se for de corpo inteiro”. Ao tentar se defender nas redes após a declaração, o deputado afirmou que a repórter não despertaria desejo por que “foge totalmente dos padrões estéticos”.

Assista declaração de Maria do Rosário em plenário:

Fonte: Congresso em Foco.

Deixe uma resposta