Marca de roupa catarinense é acusada nas redes sociais de usar símbolo nazista

Foto: Divulgação

Por Marie Declercq.

A nova coleção da marca de roupas Lança Perfume tomou proporções negativas na internet após sua divulgação nas redes sociais. De imediato, muitos internautas notaram que a cruz de ferro foi um dos símbolos estampados em calças e blusas, além de um casaco militar que foi questionado por lembrar o uniforme usado por oficiais nazistas na Segunda Guerra Mundial. Segundo nota publicada na página oficial da Lança Perfume no Facebook, a marca “repudia o nazismo e o fascismo em todas suas dimensões” e afirmou que o uso da cruz de ferro foi inspirado no exército prussiano.

A coleção-cápsula “Berlim”, ainda de acordo com a justificativa da marca, foi fruto de pesquisas sobre vários aspectos da Alemanha desde a República de Weimar nos anos 20, dos punks até a queda do muro de Berlim – um dos grandes símbolos do fim da Guerra Fria e o consequente fim da União Soviética. Além disso, as origens da cruz de ferro, estampa com bastante presença nas roupas da coleção, não tem origem nazista.

De fato, a cruz de ferro é um símbolo complexo. O símbolo foi desenvolvido pelo arquiteto prussiano Karl Friedrich Schinkel, responsável por diversos prédios neoclássicos e neogóticos espalhados pela Alemanha, e é derivada da cruz negra que compunha o brasão da Ordem dos Cavaleiros Teutônicos de Santa Maria de Jerusalém, formada em 1190 durante as Cruzadas.

Durante o Império Alemão, a cruz de ferro continuou presente em motivos militares até a ascensão do regime de extrema-direita do nazismo em 1935 que se apropriou do símbolo, assim como inverteu a suástica budista para se tornar o que conhecemos até hoje como o maior símbolo associado ao nazifascismo. Pela justificativa da marca, ela não está errada em afirmar que se fosse um símbolo exclusivamente nazista ela não seria usada pelo exército alemão pós-segunda guerra mundial até os dias atuais, como é possível ver no site oficial das forças armadas da Alemanha.

No entanto, foi inevitável não enxergar toda a carga histórica da cruz de ferro estampada nas roupas da marca – que faz parte da empresa La Moda de Santa Catarina associada ao nazismo. Embora sua origem ser diversa, a cruz de ferro acabou de tornando um dos símbolos mais usados por simpatizantes do nazismo internacionalmente. No Brasil, ela costuma aparecer em tatuagens e patches em jaquetas de nazistas assumidos, como é o caso do tatuador morto em julho de 2017 que além de usar coletes de couro com a cruz de ferro tinha o símbolos nazistas tatuados pelo seu corpo. Inclusive, o símbolo já apareceu em cartilhas policiais brasileiras para orientar policiais sobre tatuagens de cunho nazista.

A história da cruz de ferro com a Lança Perfume acabou piorando ainda mais quando o um vídeo publicitário com modelos usando as roupas da coleção mostrou um casaco estilo militar, fato que fez muitos usuários se indignarem pela proximidade ao uniforme usado pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

A intenção talvez tenha sido das melhores possíveis, o resultado deu ruim.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.