Mangueira parabeniza desfile da Tuiuti: “Viva o povo negro, pobre e favelado”

A escola de samba, uma das mais tradicionais do Carnaval, divulgou uma nota parabenizando a vice-campeã e lembrando que, em 1988, também ficou em segundo lugar com um enredo sobre a escravidão: "Repete-se a história".

Foto: NINJA

Logo após o fim da apuração que definiu a Beija-Flor como campeã entre as escolas de samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro, a Estação Primeira de Mangueira, uma das mais tradicionais do carnaval carioca, divulgou uma nota parabenizando o desfile da segunda colocada, a Paraíso do Tuiuti.

Na nota, a Mangueira lembrou que em 1988, com um enredo também sobre a escravidão, conquistou o vice-campeonato. “Repete-se a história”, escreveu a agremiação, que este ano ficou em 5º lugar.

A Paraíso do Tuiuti, por sua vez, surpreendeu e ousou ao representar o presidente Michel Temer como um vampiro e ironizar os “paneleiros” que, manipulados, saíram às ruas para protestar pelo impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff. Também marcou no desfile a crítica à “nova escravidão” através da retirada de direitos trabalhistas.

O enredo da Tuiuti, “Meu Deus, meu Deus, está extinta a escravidão?”, que tratava sobre os 130 anos da Lei Áurea, foi praticamente uma aula de história sobre a escravidão no Brasil, as relações de trabalho e poder e como a elite continua escravizando trabalhadores no país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.