Líder estudantil alerta que protestos no Chile seguirão intensos

Sul 21.- Os estudantes chilenos realizaram um grande protesto em continuidade à luta pela educação pública de qualidade naquele país. O primeiro ato de 2012 ocorreu no dia 15 de março e pediu a readmissão de estudantes expulsos de escolas por participarem dos protestos do ano passado. A manifestação faz parte da estratégia do movimento estudantil chileno para fortalecer as cobranças pela expansão do sistema público de ensino no Chile este ano.

“A mobilização chilena começou de uma história antiga de reivindicações e seguirá por conquistas para uma geração futura. Estamos refletindfo onde erramos e onde acertamos na nossa luta para autar com mais força em 2012?, alertou o vice-presidente da Federação dos Estudantes Chilenos, Francisco Figueroa.

Em Porto Alegre por ocasião do Fórum Mundial de Educação, em janeiro deste ano, Figueroa representou a líder estudantil que presidia o movimento organizado no Chile, Camila Vallejo. Ele conversou com a TVSul21 sobre os protestos contra a privatização do conhecimento, avaliou a luta e a relação do governo brasileiro com o movimento estudantil e gravou uma mensagem de agradecimento pelo apoio dos apoiadores da luta dos estudantes chilenos.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here