LGBT, LGBTI, LGBTQ ou o quê?

Publicado em: 24/03/2017 às 09:44
LGBT, LGBTI, LGBTQ ou o quê?

Por Fernanda Nascimento e Débora Fogliaro.

As identidades de gênero e orientações sexuais são plurais e podem confundir muita gente na hora de escrever um texto sobre parcelas da população não-heterossexual.

Quem nunca ouviu falar em festa GLS? Ou viu um post sobre população LGBT e não sabia se utilizava LGBTTT? Ou ainda leu em algumas revistas e jornais estrangeiros termos como LGBTI ou LGBTQ?

Pode ser confuso, mas a gente te ajuda:

GLS era uma sigla utilizada para designar gays, lésbicas e simpatizantes. Qual o problema desta sigla? Ela é excludente. Nesta sigla, fala-se apenas da orientação sexual homossexual (gays e lésbicas), deixando de lado outras formas de sexualidade e identidade de gênero. Por isso, há alguns anos a sigla LGBT passou a ser adotada, por englobar também bissexuais, travestis e transexuais e trouxe o L, de lésbica, como letra inicial para destacar a desigualdade de gênero que também diferencia homossexuais femininas e masculinos.

Atualmente, a sigla LGBT é utilizada pelo movimento social brasileiro e por entidades governamentais, como conselhos e secretarias, nos três âmbitos da federação. Apesar de LGBTTTIS designar explicitamente lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis, transgêneros, intersexuais e simpatizantes – em alguns casos é utilizado A, de assexual – a denominação não é usual no país. Em geral, presume-se que o T englobe as identidades de gênero começadas por essa letra, mas, principalmente em inglês, também se vê o uso de LGBT*, com o asterisco funcionando como um sinal que indica que o T tem significado múltiplo.  

Internacionalmente, a sigla mais utilizada é LGBTI, que engloba as pessoas intersex. Órgãos como a ONU e a Anistia Internacional elegeram esta denominação com um padrão para falar desta parcela da população. Em termos de movimentos sociais, uma denominação que vem ganhando força é LGBTQ ou LGBTQI – incluindo além da orientação sexual e da diversidade de gênero a perspectiva teórica e política dos Estudos Queer.

Há ainda pessoas que se identificam como Pansexuais, para indicar que se sentem atraídas por pessoas de qualquer gênero e evitar o binarismo da palavra “Bissexual”. Outras ainda são Assexuais, ou seja, não se sentem atraídas sexualmente por nenhum sexo ou gênero. As letras P e A também podem ser acrescentadas na sigla, embora essas formas sejam, em geral, menos utilizadas.

Definir as identidades de gênero, as sexualidades e os sexos através de letras que formam uma sigla sempre é complicado. Mesmo assim, acreditamos na importância da afirmação das várias identidades, motivo pelo qual vimos a necessidade de criar esse post.

(Esse texto nasceu após o questionamento de uma estudante de jornalismo e nos encheu de alegria poder explicar um pouco sobre as siglas, que podem incluir ou silenciar sexualidades).

Dá uma olhada no glossário e veja mais informações sobre termos LGBTs: http://ggemis.blogspot.com.br/p/glossario-lgbt.html

Fonte: Gemis.

Deixe uma resposta