Lembram-se do Bom Geremia?

Publicado em: 28/07/2011 às 20:41
Lembram-se do Bom Geremia?

Por Raul Longo.

Não! Não escrevi errado. Copiei a ilustração de propósito, para que não confundam. Não estou falando do “Jeremias, o Bom” do Ziraldo. Me refiro, sim, a concretização real do personagem do Ziraldo que há alguns anos notabiliza-se pela internet como o Bom Geremia. Mais exatamente desde que a Revista Exame o lançou para a admiração pública brasileira em matéria sob o título “A lei e os fora da lei”,

O chamado “desabafo” do “heróico” Geremia foi publicado pela Revista Exame em 23 de outubro de 1996. Sendo da Editora Abril, natural que a Exame apoiasse a sonegação à Previdência (que se confere na transcrição abaixo), baseada em desculpas de muletas. Mas ao longo do governo Lula e ainda agora no governo Dilma, se reaproveitou o lamento do Geremia transformando-o em herói de incautos internautas que fazem circular à exaustão a fraude do “bom” empresário, para dar a impressão de que seja uma vítima do atual governo.

Creio não ser preciso lembrar o nome e a sigla de quem presidia o país por ocasião do reclamo do paladino da Editora Abril, mas me impressiona não apenas o deslocamento cronológico desses que continuam estimulando o repasse de tamanha demonstração de cara de pau, como também a estulta ingenuidade. Se é que dá considerar como mera ingenuidade.

Onde pensam que seja São Leopoldo? No deserto do Cocorobó? Lá talvez haja dificuldade para se encontrar ensino público de qualidade, mas se Geremias inscrevesse seus funcionários em quaisquer das tantas Universidade Federais do Rio Grande do Sul, ali mesmo ou vizinho de São Leopoldo, ao invés de “custear” o ensino privado por razões não reveladas, compraria as tais Mercedes que lamenta aí em seu escarro de demagogia barata.

Barata, calhorda e mais falsa do que nota de R$ 150,00. Mas a falsificação de Geremias que faz a tantos de tolos, não o livrou de se incomodar com as tais leis “absurdas” de que reclama, ao evadir divisas e fraudar o Brasil. O que é possível se verificar em:

www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/…5…/inteiro-teor4

Para ajudar aos banguelas que dão preferência ao que já venha mastigado, copiei aqui o principal:

(atenção nas datas destacadas e a serem comparadas com a da publicação da Exame)

Publicado em 12/01/2011

APELAÇÃO CRIMINAL Nº 2003.71.00.048791-5/RS

RELATOR : Juiz Federal ARTUR CÉSAR DE SOUZA
APELANTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL
APELANTE : VICTOR PAULO BREITENBACH
ADVOGADO : Carlos Henrique Ribeiro D Avila e outros
APELADO : (Os mesmos)
APELADO : SILVINO GEREMIA
ADVOGADO : Paulo Olimpio Gomes de Souza e outro
APELADO : IVO ANTONIO GEREMIA
ADVOGADO : Paulo Olimpio Gomes de Souza e outros

RELATÓRIO

O Ministério Público Federal, com base nos elementos de prova colhidos no Procedimento MPF/PR/RS 1.29.000.001038/2003-87, nas Representações Fiscais para Fins Penais , e , e no Inquérito Policial 763/2004, denunciou IVO ANTÔNIO GEREMIA (nascido em 14-10-1947), SILVINO GEREMIA (nascido em 20-9-1944) e VICTOR PAULO BREITENBACH (nascido em 09-7-1950), pelo cometimento, em tese, dos delitos previstos no artigo 22,parágrafo único, da Lei 7.492/86 e no artigo , inciso I, da Lei 8.137/90, pelos seguintes fatos delituosos (fls. 03-06):

Primeiro Fato:

2. IVO ANTÔNIO GEREMIA e SILVINO GEREMIA alienaram em 11 de setembro de 1996 o controle acionário da empresa nacional IRMÃOS GEREMIA LTDA. para a empresa EVI OIL TOOLS INC, sendo que somente parte da quantia recebida em pagamento foi oferecida à tributação, mantido o restante fora do território nacional, sem ser informado às autoridades monetárias.

3. De acordo com as informações prestadas por IVO ANTÔNIO GEREMIA e SILVINO GEREMIA, a alienação do controle acionário da empresa IRMÃOS GEREMIA LTDA. assegurou a cada um dos sócios, SILVINO GEREMIA e IVO ANTÔNIO GEREMIA, o recebimento de importância equivalente a US$ 11.250.000,00, conforme instrumento particular de cessão e transferência de quotas e outras avenças (fls. 114/131), valor este declarado à Receita Federal e objeto de tributação.

4. No entanto, em decorrência desta transação, na mesma oportunidade, também receberam os denunciados IVO ANTÔNIO GEREMIA e SILVINO GEREMIA, nos Estados Unidos da América, na localidade de Irving, Texas, cada um deles, a importância de US$ 1.000.000,00 (um milhão de dólares norte-americanos), quantias estas que não foram objeto de declaração pelos acusados ao órgão fazendário, portanto não oferecidas à tributação, nem informadas para fins de comunicação da manutenção de ativos no exterior. Tais fatos somente vieram ao conhecimento da Receita Federal por iniciativa do Juízo do Trabalho de Novo Hamburgo, que tomou conhecimento do ocorrido no curso de reclamatória trabalhista que tramitou naquele Juízo, como se depreende destes autos.

5. De acordo com lançamento tributário procedido pela Receita Federal, o crédito tributário suprimido por IVO ANTÔNIO GEREMIA importa em R$ 883.877,93 (oitocentos e oitenta e três mil, oitocentos e setenta e sete reais e noventa e três centavos), sendo R$ 256.100,00 (duzentos e cinqüenta e seis mil e cem reais) a título de Imposto de Renda Pessoa Física, R$ 243.627,93 (duzentos e quarenta e três mil, seiscentos e vinte e sete reais e noventa e três centavos) por juros de mora, calculados até 30/11/2001, e 384.150,00 (trezentos e oitenta e quatro mil, cento e cinqüenta reais) de multa proporcional (fls. 309/314). O crédito tributário suprimido por SILVINO GEREMIA importa em R$ 883.877,93 (oitocentos e oitenta e três mil, oitocentos e setenta e sete reais e noventa e três centavos), sendo R$ 256.100,00 (duzentos e cinqüenta e seis mil e cem reais) a título de Imposto de Renda Pessoa Física, R$ 243.627,93 (duzentos e quarenta e três mil, seiscentos e vinte e sete reais e noventa e três centavos) por juros de mora, calculados até 30/11/2001, e 384.150,00 (trezentos e oitenta e quatro mil, cento e cinqüenta reais) de multa proporcional (fls. 79/84).

6. Assim, IVO ANTÔNIO GEREMIA e SILVINO GEREMIA suprimiram tributos federais mediante a omissão de informações à Receita Federal, bem como cada um deles manteve, no exterior, depósito não declarados à repartição federal competente no montante de US$1.000.000,00.

Segundo Fato:

7. Detendo fora do território nacional a disponibilidade de importância equivalente a US$1.000.000,00, IVO ANTÔNIO GEREMIA e também SILVINO GEREMIA determinaram à empresa EVI OIL TOOLS, INC. em 08 de outubro de 1996 que transferisse diretamente a VICTOR PAULO BREITENBACH a importância de US$700.000,00 para a conta 34.737, da agência de Punta del Este (Uruguai), do Citibank, totalizando o montante de US$1.400.000,00 (fls. 109/110), o que terminou por acontecer. Tal valor foi descontado do montante de que cada um dos dois acusados mantinham junto àquela empresa, sediada em Irving, Texas (EE.UU), portanto fora do território nacional (autorização das remessas: fls. 196, 199 e 233).

8. Assim, por determinação de IVO ANTÔNIO GEREMIA e SILVINO GEREMIA, o acusado VICTOR PAULO BREITENBACH recebeu a importância de US$1.400.000,00 em 08 de outubro de 1996, na conta-corrente nº 34.737, mantida perante o Citibank, agência Punta Del Este (Uruguai), sem todavia levá-la ao conhecimento dos órgãos fazendário e monetário. Omitiu tal informação de sua declaração de rendimentos, suprimindo, assim, tributos federais, bem como não declarou a manutenção de tais recursos no exterior.

9. Conforme apurado pela Receita Federal, o crédito tributário suprimido por VICTOR PAULO BREITENBACH alcança a importância de R$(um milhão, duzentos e trinta e sete mil, quatrocentos e vinte e nove reais e dez centavos), sendo R$

(trezentos e cinqüenta e oito mil, quinhentos e quarenta reais) a título de Imposto de Renda Pessoa Física, R$

(trezentos e quarenta e um mil, setenta e nove reais e dez centavos) por juros de mora, calculados até 30/11/2001, e R$(quinhentos e trinta e sete mil, oitocentos e dez reais) de multa proporcional (fls. 538/543).

10. Tem-se, nesta mesma medida, que VICTOR PAULO BREITENBACH suprimiu tributos federais mediante a omissão de informações à Receita Federal, bem como manteve, no exterior, depósitos não declarados à repartição federal competente no montante de US$1.400.000,00.

Terceiro Fato:

11. Por derradeiro, apurou-se ainda que os valores remanescentes mantidos por IVO ANTONIO GEREMIA e SILVINO GEREMIA junto à empresa EVI OIL TOOLS, INC., equivalentes a US$300.000,00 em nome de cada um dos acusados, foram depositados junto ao banco Citibank, agência Punta del Este, Uruguai na data de 21 de novembro de 1996, onde permaneceram, sendo que a manutenção de tais depósitos pelos acusados não foi informada às autoridades monetária e fazendária.

12. Desta forma, foram depositados US$300.000,00 na conta nº 39286602 em favor de SILVINO GEREMIA, e US$300.000,00 na conta nº 39687609 em favor de IVO ANTONIO GEREMIA, ambas as contas mantidas junto ao banco Citibank, Punta Del Este Branch, Uruguai, conforme documentação anexa.

13. Embora tais montantes tenham sido objeto de tributação por parte da Receita Federal, como relatado nos itens 4 e 5 desta peça, a disponibilidade de tais recursos pelos acusados naquelas contas-correntes não foi devidamente informada. Assim, tem-se que os acusados SILVINO GEREMIA e IVO ANTONIO GEREMIA mantiveram, cada um, no exterior, depósitos não declarados à repartição federal competente no montante de US$300.000,00.

14. Assim agindo, os denunciados IVO ANTÔNIO GEREMIA, SILVINO GEREMIA e VICTOR PAULO BREITENBACH praticaram as condutas previstas no artigo , inciso I, da Lei nº8.137/90, e no artigo 22parágrafo único, da Lei 7.492/86, sujeitando-se às penas abstratamente previstas.

15. Cumpre referir que os processos administrativos instaurados no âmbito da Receita Federal para apurar os tributos devidos nas operações já foram concluídos. Quanto a IVO ANTÔNIO GEREMIA foi encerrado em 15/08/2004, em relação a SILVINO GEREMIA em 10/08/2005 (procs. nº e , fl. 4194/4195) e quanto a VICTOR PAULO BREITENBACH foi concluído em 26/12/2001 (proc. nº , fl. 3925), datas que devem ser tomadas como termos iniciais da prescrição penal, nos termos do que decidiu o E. STF no julgamento do HC nº 81.611. Os créditos tributários reconhecidos permanecem insatisfeitos, estando presentes as condições para a instauração da ação penal.”

A peça incoativa foi recebida em 30-5-2006 (fls. 13-14).

Devidamente citados e intimados (fls. 82-83 e 147v), os réus foram interrogados (IVO ANTÔNIO GEREMIA – fls. 96-97; SILVINO GEREMIA – fls. 150-154; e VICTOR PAULO BREITENBACH – fls. 155-158), tendo sido apresentadas defesas prévias (fls. 136, 161 e 163-164).

Impetrado habeas corpus em favor do réu VICTOR PAULO BREITENBACH (HC 2006.04.00.022642-9, 8ª Turma, Rel. Des. Federal Élcio Pinheiro de Castro), para fins de trancamento da ação penal, foi indeferida a liminar (fls. 101-105), tendo sido determinada posteriormente a baixa e o arquivamento do mandamus a requerimento da defesa técnica (fl. 123).

Às fls. 168-173, consta cópia da decisão proferida no Habeas Corpus 2006.04.00.022408-1 (Rel. Des. Federal Élcio Pinheiro de Castro, DJU 02-8-2006), no qual esta Colenda Turma determinou o trancamento da ação penal quanto ao delito de sonegação fiscal imputado a IVO ANTÔNIO GEREMIA e SILVINO GEREMIA.

Regularmente instruído o feito, em alegações finais, o Ministério Público Federal pugnou pela condenação dos réus SILVINO GEREMIA e IVO ANTÔNIO GEREMIA nas penas do artigo 22parágrafo único, da Lei 7.492/86, e do réu VICTOR PAULO BREITENBACH nas penas do artigo , inciso I, da Lei 8.137/90, aduzindo, ainda, a permanência do delito de evasão de divisas até a data do oferecimento da denúncia, tendo em vista que os denunciados não teriam declarado a manutenção de valores no exterior até então (fls. 547-554).

ESSA MERECE SER COLOCADA NA FRENTE DE UM VENTILADOR PARA SER ESPALHADA POR ESTE NOSSO BRASIL!

É lamentavel , mas  infelizmente é verdade…

São Leopoldo tem um dos menores índices de analfabetismo e de mendicância do país, talvez por causa de homens como este!

EMPRESÁRIO DE SÃO LEOPOLDO

Silvino Geremia é empresário em São Leopoldo, Estado do Rio Grande do Sul.

Eis o seu desabafo, publicado na revista EXAME:

 

 

“Acabo de descobrir mais um desses absurdos que só servem para atrasar a vida das pessoas que tocam e fazem este país: investir em Educação é contra a lei .

Vocês não acreditam?

Minha empresa, a Geremia, tem 25 anos e fabrica equipamentos para extração de petróleo, um ramo que exige tecnologia de ponta e muita pesquisa.

Disputamos cada pedacinho do mercado com países fortes, como os Estados Unidos e o Canadá.

Só dá para ser competitivo se eu tiver pessoas qualificadas trabalhando comigo.

Com essa preocupação criei, em 1988, um programa que custeia a educação em todos os níveis para qualquer funcionário, seja ele um varredor ou um técnico.

Este ano, um fiscal do INSS visitou a nossa empresa e entendeu que Educação é Salário Indireto.

Exigiu o recolhimento da contribuição social sobre os valores que pagamos aos estabelecimentos de ensino freqüentados por nossos funcionários, acrescidos de juros de mora e multa pelo não recolhimento ao INSS.

Tenho que pagar 26 mil reais à Previdência por promover a educação dos meus funcionários?

Eu honestamente acho que não.

Por isso recorri à Justiça.

Não é pelo valor em si , é porque acho essa tributação um atentado.

Estou revoltado.

Vou continuar não recolhendo um centavo ao INSS, mesmo que eu seja multado 1000 vezes.

O Estado brasileiro está completamente falido.

Mais da metade das crianças que iniciam a 1ª série não conclui o ciclo básico.

A Constituição diz que educação é direito do cidadão e um dever do Estado.

E quem é o Estado?

Somos todos nós.

Se a União não tem recursos e eu tenho, acho que devo pagar a escola dos meus funcionários.

Tudo bem, não estou cobrando nada do Estado.

Mas também não aceito que o Estado me penalize por fazer o que ele não faz.

Se essa  moda pega, empresas que proporcionam cada vez mais benefícios vão recuar..

Não temos mais tempo a perder.

As leis retrógradas, ultrapassadas e em total descompasso com a realidade devem ser revogadas.

A legislação e a mentalidade dos nossos homens públicos devem adequar-se aos novos tempos.

Por favor, deixem quem está fazendo alguma coisa trabalhar em paz.

E vão cobrar de quem desvia dinheiro, de quem sonega impostos, de quem rouba a Previdência, de quem contrata mão-de-obra fria, sem registro algum.

Eu Sou filho de família pobre, de pequenos agricultores, e não tive muito estudo.

Somente consequi completar  o 1º grau aos 22 anos e, com dinheiro ganho no meu primeiro emprego, numa indústria de Bento Gonçalves, na serra gaúcha, paguei uma escola técnica de eletromecânica.

Cheguei a fazer vestibular e entrar na faculdade, mas nunca terminei o curso de Engenharia Mecânica por falta de tempo.

Eu precisava fazer minha empresa crescer.

Até hoje me emociono quando vejo alguém se formar.

Quis fazer com meus empregados o que gostaria que tivessem feito comigo.

A cada ano cresce o valor que invisto em educação porque muitos funcionários já estão chegando à Universidade.

O fiscal do INSS acredita que estou sujeito a ações judiciais.

Segundo ele, algum empregado que não receba os valores para educação poderá reclamar uma equiparação salarial com o colega que recebe.

Nunca, desde que existe o programa, um funcionário meu entrou na Justiça.

Todos sabem que estudar é uma opção daqueles que têm vontade de crescer…

E quem tem esse sonho pode realizá-lo porque a empresa oferece essa oportunidade.

O empregado pode estudar o que quiser, mesmo que seja Filosofia, que não teria qualquer aproveitamento prático na nossa  Empresa Geremia.

No mínimo, ele trabalhará mais feliz.

Meu sonho de consumo sempre foi uma Mercedes-Benz.

Adiei sua realização várias vezes porque, como cidadão consciente do meu dever social, quis usar meu dinheiro para fazer alguma coisa pelos meus 280 empregados.

Com os valores que gastei no ano passado na educação deles, eu poderia ter comprado Duas Mercedes.

Teria mandado dinheiro para fora do País e não estaria me incomodando com essas leis absurdas .

Mas infelizmente  não consigo fazer isso.

Eu sou um teimoso.

No momento em que o modelo de Estado que faz tudo está sendo questionado, cabe uma outra pergunta.

Quem vai fazer no seu lugar?

Até agora, tem sido a iniciativa privada.

Não conheço, felizmente, muitas empresas que tenham recebido o mesmo tratamento que a Geremia recebeu da Previdência por fazer o que é dever do Estado.

As que foram punidas preferiram se calar e, simplesmente, abandonar seus programas educacionais.

Com esse alerta temo desestimular os que ainda não pagam os estudos de seus funcionários.

Não é o meu objetivo.

Eu, pelo menos, continuarei ousando ser empresário, a despeito de eventuais crises, e não vou parar de investir no meu patrimônio mais precioso:

as pessoas.

Eu sou mesmo teimoso!…

Não  tem  jeito…


————-

 

“No  futebol, o Brasil ficou entre os 8 melhores do  mundo e todos estão tristes.
Na  educação é o 85º e ninguém  reclama…”EU  APOIO ESTA TROCA

TROQUE  01 PARLAMENTAR POR 344  PROFESSORES

O  salário de 344 professores que ensinam  =  ao de 1 parlamentar que rouba

Essa  é uma campanha que  vale a pena!

Repasso  com solidária revolta!

 

Imagem: Geremias O Bom Ziraldo 1969

 

6 Comentários para "Lembram-se do Bom Geremia?"

  1. SILVINO GEREMIA   12/11/2015 at 15:46

    Concluo com suas palavras ( LEMBREM-SE DO BOM GEREMIA ) eu tenho muito orgulho do meu nome

    Responder
  2. Silvino Geremia   12/11/2015 at 15:25

    Ilustríssimo Senhor Raul Longo .
    Primeiramente não o conheço não tenho intenção de o conhecer , pessoas com o seu caráter eu costumo deletar , de qualquer forma vamos lá.
    Achei de estrema deselegância de sua parte sem me conhecer e sem ter o devido conhecimento da minha conduta como cidadão e o pior sem o mínimo conhecimento de causa dos fatos ocorrido , você proferir tamanha grosseria e ofensas a minha pessoa me tratando como um falsário um delinquente ou um trambiqueiro .

    Antes de mais nada sou um pai de família ,avo de 4 lindos netinhos ,sou muito respeitado na minha comunidade tanto que fui agraciado com a título de Cidadão Leopoldinense dado pela Câmara de Vereadores de São Leopoldo , .portanto não lhe dou o direito de se dirigir a mim co tamanha grosseria

    Só para o meu conhecimento não entendo qual é a sua intenção e o porque de tanto ódio ,tanta ira contra minha pessoa.

    Primeiro nas minhas empresas que fundei e administrei sempre foi expressamente proibido passar pela portaria alguma mercadoria sem que tivesse a devida nota fiscal porque entendo que ação social não se pratica com esmolas contribuições para entidades carentes ,ação social pra mim o primeiro é não sonegar e pagar todos os impostos em dia ,contratar funcionários devidamente registrados ,recolher todos os encargos da previdência social em dia bem com recolher todo o fundo de garantia conforme a lei manda ,pagar um salário justo a todos os profissionais da empresa ,contribuir para o desenvolvimento da minha comunidade e do meu Estado e do Brasil o resto pra mim é clientelismo , também não considero ação social pagar estudo para os funcionários , existe sim uma relação ganha ganha ganha , ganha a empresa ganha o trabalhador mas quem mais ganha com isto é a sociedade e o governo principalmente a previdência social .

    É também sabido que a diferença salarial entre um trabalhador sem qualificação e um trabalhador com formação superior a diferença salarial é enorme desta forma quem mais se beneficia primeiro é o trabalhador que recebe um salário bem mais alto , com este maior salário também maior é a contribuição para a previdência e maior é o que o governo arrecada com imposto de renda .

    Também para o seu conhecimento ao longo dos 40 anos como empresário sempre cumpri com todos os decididos coletivos da categoria estivesse se beneficiando do plano de educacional ou não , portanto nunca o que foi investido com educação foi usado como substituição salarial ou usado para reduzir impostos ou contribuições para a previdência social .

    Quero também lhe esclarecer que é mais que sabido que qualquer transação internacional tem um custo de corretagem ,também é sabido que é obrigatório se assessorar com profissionais do direito com conhecimento das leis daquele país ,para o seu conhecimento num sistema capitalista tudo este trabalho tem um custo e uma remuneração , a forma de pagamento daqueles profissionais foi paga sem o ingressar os recursos no Brasil de modos que foi paga direto lá fora.
    É sabido também que no valor total da transação estes valores fazem parte do valor total da transação portanto o recurso não foi retirado do Brasil e sim pago por quem adquiriu o negócio ,diferente dos corruptos do mensalão e do lava jato que roubam o povo brasileiro e descaradamente o transferiram vultuosas somas para os paraísos fiscais

    Quero também lhe informar sim que tenho investimentos internacionais , mas todos estão devidamente informados a receita federal e o Banco Central , quero lhe informar que jamais tive dinheiro ilícito depositados em paraísos fiscais com muitos malandros brasileiros possuem.

    Quero lhe esclarecer que tive sim uma ação judicial por uma falsa denuncia a Receita Federal e impetrada pelo ministério Publico Federal ,que pra mim foi uma forma de esclarecer e passar a limpo esta falsa denúncia , o processo esta devidamente transitado em julgado sem nenhuma punição

    Quero lhe esclarecer também que ao longo de 40 anos nunca fui autuado ou multado por não recolher os tributos ,a única vez que fui indevidamente autuado foi por estar pagando universidade para meus funcionários .
    Quero lhe esclarecer também que a empresa recorreu a esta indevida multa e por unanimidade vencemos em todas as estâncias do judiciário ,esta causa também esta devidamente transitada em julgada .

    Outro ponto quero deixar bem claro que nenhum momento pretendi jogar a culpa a nenhum Presidente da República , mesmo porque o Presidente da República Fernando Henrique Cardoso que assim que tomou conhecimento do ocorrido , tratou logo de emitir uma medida provisória para sanear esta distorção , mais tarde passou por unanimidade no Congresso Nacional hoje Lei nº 9711/98 ,tenho certeza que se fosse o Presidente Lulu ou a Presidenta Dilma fariam a mesma coisa .
    Quero salientar que endosso tudo o que disse naquela época sem nada retirar e tenho certeza que prestei um grande serviço para o Brasil ,talvez seja por isto que você não se conforma

    Quero salientar que consegui formar mais de 300 brasileiros com nível superior e pós graduação sem este auxilio a maioria não teriam o mínimo de condições de chegar aonde chegaram isto com certeza muito me orgulha por ter de fato praticado e estar praticando a cidadania
    Quero também salientar que graças a Lei nº 9711 / 98 continuo a pagar ensino superior a todos os profissionais da minha empresa que quiserem cursar curso superior e te informar que mais de 25% dos profissionais da minha empresa estão cursando curso superior custeado pela empresa , sem contar que muitos ja estão formados por este programa

    Quero também expressar minha indignação com as baixarias por você tornadas a público e de uma certa forma perdoa-lo porque você deve ser daqueles vermes parasitas endêmicos que vive no meio das tripas do governo .

    Também pedir que você tome cuidado porque com sua mentalidade miserável aquilo que você disse que colocou no ventilador um dia não tenha que fazer bolinhos e fritar para matar a fome.

    silvino Geremia

    CPF 099 628 240 /87

    e-mail – [email protected]
    .
    CPF 099 628 240

    Responder
  3. Xita   13/05/2015 at 14:00

    Mais sindicatos??? para ver mais “donos” de sindicatos enriquecerem enquanto os salários estão sendo arrochados pelas más negociações???? Me poupe CARLOS…esse seu comentário perdeu TODA a credibilidade com teu último parágrafo.
    Um aluno de faculdade não ganha salário de formado!!! E vc, conseguiu salário de graduado enquanto aluno????? Assinado : um trabalhador cansado de governo E sindicatos corruptos!!!

    Responder
  4. Antonia   12/09/2014 at 08:26

    Se vocês conhecessem o Sr. Silvino, sua empresa e alguns de seus empregados, teriam vergonha das opiniões que estão expressando aqui. Lamentável que o Brasil não tenha mais empresários como ele, que é um exemplo.

    Responder
  5. Eliane   05/11/2012 at 10:48

    Pelo menos, ele paga os estudos. Qualquer empresa privada paga MUITO mal aqui no Brasil. E hay otras, nem tão privadas, que pagam mal também. São todos Gersons.

    Responder
  6. Carlos   19/01/2012 at 17:54

    Após repassar, inocentemente um e-mail sobre Silvino Geremia recebi a seguinte resposta:

    Caro Carlos

    É isso mesmo. FELIZMENTE é verdade!

    O Geremia é um tipo de “Gerson do Pampas”. Quer levar vantagem em tudo.

    O empresário concede auxílio para estudo para ter suas compensações fiscais. Se pagasse o salário correto para que o funcionário pagar a escola, este receberia mais em férias, 13º, FGTS e consequente melhor indenização e aposentadoria. Sobre o subsidio ao estudo não incide nenhum benefício como férias, 13º, FGTS, PIS…

    O “Gerson dos Pampas”, paga salário inferior ao mercado e num gesto de enorme bondade, paga os estudos do funcionário, ficando isento de recolher mais FGTS, pagar mais em salário, 13º. Férias, etc…

    O “Salário indireto”, já foi uma forma de enganar funcionários e governo, mas evoluímos e não caímos mais nessas “bondades empresariais”…

    O “Gerson dos Pampas” joga toda essa despesa como custo operacional, e ainda reduz sua folha de pagamento e os encargos sobre a folha de pagamento. O salário é menor e mesmo somando a bondade do Geremia, resulta em menor custo e consequente mais lucros ao bondoso Geremia.

    Com que recurso o Geremia está pagando os estudos de seus funcionários? Deixando de recolher mais impostos, o Gerson dos pantas, paga com o meu, o seu, o nosso dinheiro!!!

    Quem é o “tolinho” que acha que ao pagar ensino aos funcionários, não está revertendo em vantagem ao empresário? Ele vai pagar menos, pois o funcionário será eternamente agradecido. É ainda bem mais vantajoso que contratar um funcionário já formado por salários bem maiores.

    Contrata um técnico por R$ 1.500,00 , quando o mercado paga R$ 2.500,00. Paga escola de R$ 300,00 e o funcionário lhe será eternamente grato!

    Em vez de recrutar engenheiros formados por R$ 5.000,00. Coloca o cara pra fazer engenharia na Ulbra a R$ 800,00 e paga salário de R$ 3.000,00

    É pura demagogia e esperteza do “Gerson dos Pampas”. Ninguém dá almoço de graça!

    Da mesma forma ao conceder um carro ao funcionário, a empresa é tributada pois é um salário indireto, disfarçado de benefício para pagar menos salários e menos encargos.

    Faço um desafio ao bondoso Geremia: Não pague os estudos com o caixa da empresa. Receba seus dividendos e com esse recurso pague o estudo dos funcionários. Ele vai topar?

    Melhor o Geremia migrar para a Bolivia, Uruguay ou Paraguay. Aqui é um país que não vive mais em regime de escravidão!

    Não repasso o email com a “solidária revolta” como diz o ignorante inocente útil que fez o email, nem divulgo a resposta pois a maioria do povo não vai entender. Gostam mesmo de demagogia de políticos e de empresários.

    Pobre adora as elites. Precisamos de mais sindicatos e mais sindicalizados para que a classe trabalhadora conheça seus direitos>

    Responder

Deixe uma resposta