Lançamento da Campanha “Intervenção Popular em São José” é neste domingo

A campanha Contestado vive 2018! Intervenção popular em São José! será lançada em um churrascão coletivo na comunidade neste domingo, 25.

Ocupação Contestado. Foto: Andrey Lolo Brigida

Por Joana Zanotto.

Moradoras e moradores da maior ocupação urbana organizada na Grande Florianópolis resistem a um novo pedido de despejo com uma campanha de mobilização nacional. Desde 2012 a comunidade do Contestado vive em um terreno que, antes da ocupação, permaneceu ocioso por três décadas e meia, na região da Serraria, em São José (SC). A campanha Contestado vive 2018! Intervenção popular em São José! será lançada em um churrascão coletivo na comunidade neste domingo, 25. No evento terão cartazes para fotografar moradoras/es e apoiadoras/es. As imagens vão fazer parte da campanha e serão compartilhadas no país inteiro.

Ato da Ocupação Contestado na Beiramar de São José, SC

A campanha visa fortalecer e pressionar a opinião pública a fim de impedir qualquer tentativa de desalojamento da comunidade e, ao mesmo tempo, a retomada das atividades na ocupação em meio a um cenário político de ofensiva aos grupos mais vulneráveis e aumento das desigualdades. Serão arrecadados recursos para um mutirão de reforma no barracão, que será ocupado com atividades diárias e semanais, como produção de produtos para a comunidade, atividades culturais, assembleias, reuniões com rede de apoiadoras(es), e formações sobre os direitos do povo. A construção de uma intervenção popular confronta o decreto do Governo de intervenção militar nas áreas pobres do Rio de Janeiro, medida que agrava a violência policial nessas localidades.

Primeiros Dias da Ocupação, em 2012. Foto: Pâmela Carbonari

No Contestado, a comunidade conseguiu conter, no início de 2016,  ações criminosas da Polícia Militar, recorrentes por longo período de tempo. Moradoras/es e apoiadores/as tornaram público e se mobilizaram contra os arrombamentos de propriedades sem mandato e as inúmeras violências física e psicológica a crianças e adultos. Desta vez a coletividade se organiza para barrar a nova ameaça de despejo da suposta dona do terreno (Becker) aberta no início deste ano.

Os avanços nas negociações com a prefeita de São José, Adeliana Dal Pont (PSD), estão sendo conquistados mesmo diante do não cumprimento de muitas de suas promessas, repetindo o histórico de manobras do executivo local. Contestado foi ocupado há seis anos por mais de 100 famílias que estavam sem teto desde que foram despejadas de outra área pelo então prefeito Djalma Berger (PMDB). Na época, ele havia prometido legalizar a situação das famílias, no entanto, depois ter perdido as eleições, autorizou a remoção violenta. Negociações junto à secretaria de assistência social e da secretaria de segurança pública resultaram em um alojamento temporário no Ginásio Municipal do Jardim Zanelatto. Lá, ficaram por 28 dias, sem conforto, privacidade e em condições precárias de saneamento básico e alimentação. O terreno ocupado fica nos arredores do próprio ginásio.

Para saber mais sobre o churrasco do dia 25/02, acesse o evento do Facebook: https://www.facebook.com/events/148087369201064/. Para acompanhar a campanha e o cotidiano da ocupação, siga a página da Ocupação Contestado na mesma plataforma.

CONTESTADO VIVE 2018! INTERVENÇÃO POPULAR EM SÃO JOSÉ!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here