Juventude católica em marcha contra os combustíveis fósseis

Juventude católica em marcha contra os combustíveis fósseis

Por Silvia Calciolari.

Empolgação. Esse foi o espírito da Jornada Diocesana da Juventude (JDJ) realizada no último sábado (8), que reuniu centenas de jovens em uma marcha pelas ruas da pequena Pérola, cidade de 11 mil habitantes do Noroeste do Paraná. Nos períodos da manhã e tarde foram realizadas palestras motivacionais que tiveram como tema a Campanha da Fraternidade 2017 – Biomas e Justiça Climática – e a Encíclica Laudato Si, com ênfase nas mudanças climáticas e seus impactos.

“Foi incrível a participação e envolvimento da Juventude, legítima guardiã da Criação. Todos estão muito entusiasmados para participar da Vigília Climática pela Criação e pelos Refugiados Climáticos”, afirmou Reginaldo Urbano Argentino, coordenador de Desinvestimento da 350.org Brasil e presidente da Cáritas Paraná.

350.org realiza entre os dias 5 e 13 de maio a Mobilização Global pelo Desinvestimento. O objetivo é alertar as pessoas e os líderes mundiais sobre os efeitos destruidores das mudanças climáticas e a urgência do rompimento com a indústria dos combustíveis fósseis. A Diocese de Umuarama programou para o dia 6 de maio a Grande Vigília Climática pela Criação e pelos Refugiados Climáticos. A estimativa é que a vigília reúna na Catedral do Divino Espírito Santo milhares de fiéis em preces pelas pessoas afetadas pelas mudanças climáticas na América Latina e em todo o mundo.

Destacando a importância da causa ambiental e trazendo para o centro do debate público a preocupação com a “Casa Comum”, a Encíclica Laudato Si, lançada pelo Papa Francisco em junho de 2015, jogou luz sobre uma questão que afeta a todos os seres vivos. “A partir de uma visão integral do que deve ser a ‘Ecologia’, diversos grupos e indivíduos da Igreja estão unidos ao movimento global de combate aos combustíveis fósseis, principais emissores de gases do efeito estufa”, explica Reginaldo.

Conscientização

De acordo com Frei Bernardo Luz, secretário do Setor da Juventude da Diocese de Umuarama, os jovens sabem que as mudanças climáticas são uma realidade. Porém, muitos ainda não têm consciência de como já estão sendo impactados.

“Muitos moram na área rural e são filhos de pequenos agricultores. A partir das palestras sobre os impactos das mudanças climáticas eles começam a relacionar com as atividades na agricultura que estão sendo afetadas pelas alterações no regime de chuvas, prejudicando a germinação das sementes e o crescimento dos alimentos”, exemplificou.

O calor excessivo registrado na região no último verão também é um parâmetro para mostrar que as mudanças climáticas precisam ser contidas já. “Muitos sentiram que o momento de mudança é urgente e a luta contra os combustíveis fósseis é a única alternativa para evitarmos mais alterações radicais no clima e garantirmos a proteção à Criação”, enfatiza Frei Bernardo.

A Marcha da Juventude estava registrada no mapa das ações e é uma das inúmeras iniciativas que acontecem no âmbito da Mobilização Global pelo Desinvestimento. Para saber mais, acesse o site e procure uma ação perto da sua cidade.

Fonte: Gofossilfre. 

Você precisa estar logado para postar um comentário Login