Judoca Rafaela Silva é vítima de racismo da PM do RJ

A atleta estava dentro de um táxi quando uma viatura da PM mandou parar e a fez descer do carro; policiais só a liberaram depois que souberam que ela era a "aquela atleta da Olimpíada".

Foto: Roberto Castro

A campeã olímpica Rafaela Silva, que vem há anos representando o Brasil no judô, foi vítima, nesta quinta-feira (22), de uma abordagem racista da Polícia Militar do Rio de Janeiro.

Pelo Twitter, a judoca relatou que pegou um táxi no aeroporto para ir para sua casa, em Jacarepaguá, e que quando passava pela avenida Brasil, uma das mais movimentadas do Rio de Janeiro, avistou uma viatura da polícia, que deu ordens para o táxi parar e Rafaela descer.

Segundo a atleta, um dos policiais, que estava armado, a abordou e perguntou “onde” ela trabalha. Rafaela, então, respondeu que era judoca e o policial só a liberou quando se deu conta de que ela era “aquela da Olimpíada”. Já dentro do táxi, o taxista teria relatado que um dos policiais o perguntou onde ele teria parado para a pegar, ao que o homem respondeu que foi no aeroporto. “Ah, tá. Achei que tinha pego na favela”, teria respondido o PM.

“Esse preconceito vai até onde?”, escreveu Rafaela ao fim de seu relato.

Confira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.