Jovens debatem o Contestado em preparação ao Grito dos Excluídos

Nos dias 29 a 31de julho de 2011, mais de 100 jovens, militantes da Pastoral da Juventude Rural (PJR), Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP) e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), reuniram-se no salão paroquial de São Miguel do Oeste, SC, em preparação ao Grito dos Excluídos que acontecera no dia 7 de setembro de 2011. Nesta oportunidade foi debatida a historia e centenário do Contestado e a luta pela terra.

Conforme a discussão realizada durante manhã e parte da tarde deste dia, foi abordado a importância dos jovens da classe trabalhadora conhecerem suas origens para escolherem os seus rumos e projetar o seu futuro enquanto classe. Na seqüência da programação se constrói oficinas, relacionada a vários temas como: capoeira, música, poesia, teatro, fotografia e comunicação.

Segundo Jilson Carlos de Souza educador popular do coletivo da Associação Paulo Freire de Educação e Cultura Popular de Fraiburgo (APAFEC) e da Agência Contestado de Noticias Populares – AGECON, é importante nos prepararmos para o centenário do Contestado por que ele marca a história. Pois precisamos nos adonar desse conhecimento, para ficar mais difícil da elite, manipular e mentir sobre o mesmo.

 

Rafael Fernando Lewer, estudante e militante da PJMP, um dos participantes do encontro, comenta: “O Contestado contribuiu de todas as formas nos movimentos, além de trazer muito o direito pela terra, também trouxe a existência de uma cultura popular, para as futuras gerações. Para nós jovens essa luta trouxe muita coletividade sem hierarquização e igualdade, organização e respeito. O poder não traz nada, só destrói o companheirismo e a convivência social”.

O encontro segue com atividades culturais na parte da noite. E no domingo, dia 31, pela parte da manhã se realizara um debate sobre o tema do Grito dos Excluídos e organização da juventude.

 

 

Texto produzido coletivamente na oficina de comunicação do evento e fotos realizadas a partir da oficina de fotografia.

Tomado do blog:

http://coletivodejuventudedomst-sc.blogspot.com

2 COMENTÁRIOS

  1. eu tava la, mas da onde qual o posicionamento do DESACATO em relação as articulações das organizações campesinas e urbanas?

    • Estimado João, o posicionamento de Desacato a respeito das organizações campesinas e urbanas, não só do Brasil, fica explícito nos artigos dos seus articulistas e jornalistas, que faz 4 destacam permanentemente as atividades e as lutas dos companheiros do campo. En SC, Desacato se faz presente através da Rede Popular Catarinense de Comunicação e seu vínculo con AGECON. Um abraço!

      Coordenador Editorial

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.