Jornalistas argentinos rejeitam protocolo fascista de Ministra de Segurança Pública, Patrícia Bullrich

Jornalistas argentinos rejeitam protocolo fascista de Ministra de Segurança Pública, Patrícia Bullrich

Via Analía Pujato.

O Sindicato de Imprensa de Rosário e a Associação de Imprensa de Santa Fe rejeitaram energicamente o Protocolo Geral de Atuação para a Proteção da Atividade Jornalística apresentado na Província de Tucumán pela ministra de Segurança Nacional, Patrícia Bullrich, no marco da assembléia anual da Associação de Entidades Jornalísticas Argentinas e que foi elaborado conjuntamente pela ADEPA e o Foro de Jornalismo Argentino (FOPEA). “Os trabalhadores de imprensa de todo o país são os autênticos convidados de pedra, ignorados e invisibilizados, tanto na sua existência como na sua problemática por esta “pomposa” construção na que participam ADEPA e FOPEA, ambas sem representatividade dos interesses dos trabalhadores”, diz o texto gremial.

Segundo os grêmios “esse Protocolo pretende ignorar que a maior capacitação, conhecimento do contexto e provisão das condições e elementos de trabalho adequadas, reduzem em grande medida os riscos em situações de conflito. Quando não for assim, os trabalhadores de imprensa devem concorrer à Justiça, nunca à Polícia nem a outras forças de seguridade”. ADEPA  e FOPEA “se arrogam a plena capacidade de constituição da Comissão de Riscos da Atividade Jornalística e também a capacidade  de qualificá-los de acordo ao armado de uma matriz de risco”. Por isso tudo, os trabalhadores de imprensa “dizemos que não queremos que nos cuidem os mesmos que nos reprimem e atacam o pluralismo informativo”.

 

Você precisa estar logado para postar um comentário Login