Israel barra em Tel Aviv ativista estadunidense e judia, apoiadora do BDS

Governo sionista considera que o movimento de boicote é terrorista

Ariel Gold no aeroporto Ben Gurion, Tel Aviv. Foto: Ariel Gold

Por Lúcia Rodrigues, Ibraspal.

A ativista estadunidense judia Ariel Gold que milita no movimento BDS (Boicote, Desenvestimento e Sanções) foi barrada pela polícia israelense no aeroporto internacional de Tel Aviv, Ben Gurion, neste domingo, 1, quando tentava entrar no país.

Gold alega que foi deportada mesmo estando com a documentação em dia. “Estou no aeroporto de Tel Aviv e estão me deportando… O motivo: meu ativismo pelos direitos humanos palestinos”, escreveu ela no Twitter.

Pelo menos dois ministros atuaram para impedir sua entrada: o da Segurança Pública, Gilad Erdan, e do Interior, Arye Dery, que revogou seu visto. Erdan chegou a usar uma rede social para dizer que quem boicota Israel, não entra no país.

A ativista, que trabalha para uma ONG de esquerda (N. da R.: Code Pink) que atua contra guerras e ocupações financiadas pelos Estados Unidos, tinha a intenção de participar de um curso na Universidade Hebraica em Jerusalém.

Ela possui uma longa trajetória de ativismo. Já foi presa em Israel e nos Estados Unidos por participar de protestos contra as políticas israelenses. Em 2017, foi a Hebron, na Cisjordânia ocupada, para acompanhar o julgamento militar do ativista palestino de direitos humanos Issa Amro.

Com informações do Middle East Monitor

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.