Instântaneas de uma invasão sem fim 3

Publicado em: 19/05/2011 às 13:05
Instântaneas de uma invasão sem fim 3

Desde 1948, os sionistas têm assediado, assassinado e perseguido os palestinos de forma incessante, expulsando-os de suas casas, aldeias, terras e cidades pra criar o Estado de Israel. Perpetraram inúmeros massacres que apavoraram os palestinos e os obrigou a abandonar seu lar e propriedades. Mais de 100.000 palestinos foram assassinados, destruíram a sua existência como nação e os forçaram a viver no exílio como refugiados.

Alguns massacres:

Massacre de do Hotel Rei Davi (julho de 1946)

Massacre de Baldat Al-Shaikh (janeiro de 1947)

Massacre do Hotel Semiramis (janeiro de 1948)

Massacre de Deir Yassin (abril de 1948)

Massacre de Houla (outubro de 1948)

Massacre de Dawayma (outubro de 1948)

Massacre de Kafr Kassem (outubro de 1956)

Massacres dos campos de refugiados Sabra e Chatila (setembro de 1982)

Abu Shusha

Al-Wa’ra Al Sawda

Alma

Shuhada

Al-Qubayba

Massacre de Al Aqsa (outubro de 1990)

Massacre de Qana (abril de 1996)

Campo de refugiados de Jenin (abril de 2002)

Os palestinos são humilhados de forma permanente: nos postos de controle que muitos devem atravessar todo dia para estudar ou trabalhar, muitos doentes e feridos morrem sem atenção médica porque nem sempre os israelenses deixam passar as ambulâncias. As crianças não ficam de fora desse comportamento criminoso e desumano.

80% do muro construído por Israel fica dentro do território ocupado da Cisjordânia e isola comunidades e famílias entre sim, separa os agricultores das suas terras e os palestinos de seus locais de trabalho, escolas, centros de saúde e outros serviços essenciais. O muro, que vai de norte a sul e a través de parte de Jerusalém, medirá mais de 700 km e terá entre 50 e 100 m de largura. É uma estrutura complexa que inclui arame farpado, sarjetas, áreas de areia fina para detectar pegadas, torres de vigilância, caminhos asfaltados pros tanques, áreas de defesa adicionais e diversas áreas restringidas. O seu traçado responde a rodear os mais de 50 assentamentos israelenses ilegais onde moram 80% dos colonos judeus. Isto implica em uma expansão de fato das fronteiras de Israel pra dentro da Cisjordânia. A ONU emitiu uma resolução pra que Israel parasse com a construção do muro em 2003, e como todas as outras resoluções do organismo internacional em relação a Israel, não foi cumprida.

[nggallery id=3]

 

 

Deixe uma resposta