Imagens: Indignados em Marcha

Publicado em: 15/10/2011 às 12:02
Imagens: Indignados em Marcha

Textos de Opera Mundi.

[nggallery id=17]

Austrália

Na Austrália, centenas de pessoas protestaram na cidade de Sydney. Os manifestantes traziam cartazes com dizeres como “O capitalismo está matando nossa economia”. As passeatas aconteceram também nas cidades de Melbourne, Adelaide, Perth, Townsville, Brisbane e Byron Bay.

Segundo informações do jornal The New York Times, o clima dos protestos era tranquilo, com pessoas inclusive tocando músicas para animar a multidão. Ainda segundo a publicação, havia cerca de 800 pessoas nos protesto australiano realizado nas imediações do Banco Federal do país.

 

 

 

 

Inglaterra

As manifestações em Londres começaram com cerca de 300 pessoas que se dirigiam à Praça Paternoster, onde está localizada a Bolsa de Valores de Londres.

O protesto começou de forma pacífica, mas a polícia da cidade prometeu agir caso os manifestantes tentassem invadir o local. Horas depois, os policiais passaram a marchar pela praça, demonstrando uma atitude mais energética.

Algumas horas depois, surgiram no Twitter algumas mensagens de pessoas presentes nas manifestações indicando que Julian Assange, responsável pelo Wikileaks, havia sido preso pela polícia da cidade. Minutos depois, a informação foi desmentida por outros participantes do protesto.

Segundo eles, Assange foi avisado, assim como outras pessoas, pelos policiais de que não poderia usar uma máscara que cobrisse seu rosto. A exigência foi ironizada por um advogado presente na praça. “Eles dizem que não podemos usar máscaras e ser anônimos, mas as contas suíças podem ser”, afirmou Jen Robinson em sua conta no Twitter.

Alemanha

Segundo a Associated Press, cerca de 5 mil pessoas protestam na cidade em frente ao prédio do Banco Central Europeu.

Nova Zelândia

Houve manifestações em quatro cidades do país: Wellington, Auckland, Dunedin e New Plymouth. De acordo com informações da Radio Zew Zeland, cerca de 500 pessoas estiveram presentes nas marchas realizadas nas duas primeiras cidades.

Bélgica

A manifestação na capital Bruxelas partiu da estação Norte em
direção à praça da bolsa de valores. Depois seguiu para o distrito onde
ficam as sedes da Comissão Europeia, Conselho Europeu e Parlamento
Europeu.

Milhares de manifestantes levaram cartazes com dizeres como “Parem  a ditadura financeira”; “Por uma Europa solidária” e o “O dinheiro mata”. A passeata ocorre em clima pacífico.

Espanha 

As manifestações da Espanha tiveram o grande apoio e incentivo dos  “indignados” que meses atrás já haviam protestado contra a situação econômica do país e os altos índices de desemprego. Os números a respeito das marchas diferem de acordo com as fontes.  Segundo fontes da prefeitura, 60 mil pessoas participaram das
manifestações, mas a organização afirmou que foram 250 mil.

Em Madri, as autoridades não permitiram que os protestos fossem  realizados. Ainda assim, milhares de pessoas foram às ruas e fizeram  muito barulho com apitos e um “panelaço”. Quando passavam por bancos,  gritavam “culpados, culpados”. Durante as manifestações, no entanto, não  foram registrados incidentes.

 

Itália

O protesto também teve grande importância na Itália. Milhares de pessoas sairam às ruas de Roma e acabaram entrando em conflito com a polícia, que reprimiu as manifestações.

De forma violenta, a polícia italiana usou mangueiras d’água e  bombas de gás lacrimejante para dissipar quem protestava. Os  manifestantes responderam e, durante o confronto, colocaram fogo em  carros e quebraram vitrines de lojas. Até o momento, o protesto na Itália é o que, aparentemente, teve maior repressão policial neste
sábado.

Imagem de Machahir Sami, jornalista presente nos protestos, mostra a confusão gerada pela repressão policial em Roma

Brasil

Os protestos no Brasil foram concentrados em São Paulo. As pessoas  levaram cartazes pedindo uma “democracia de fato”. A forte chuva que  atinge a capital paulista, no entanto, atrapalha a manifestação.  Assim como nos demais protestos realizados por todo o mundo, as marchas no Brasil foram convocadas pela internet.

Hong Kong

Cerca de 200 pessoas se concentraram nas imediações da Bolsa de  Valores local, levando cartazes com palavras de ordem como “os bancos  são um câncer”, segundo a Rádio Televisão de Hong Kong.

Taiwan

Mais de 100 pessoas – embora os organizadores esperassem que cerca  de 1,5 mil aparecessem – responderam a convocação do “15-O”, em  referência ao dia 15 de outubro, e se manifestaram na entrada do  arranha-céu Taipé 101 cantando palavras de ordem como “Somos 99% de  Taiwan”.

 

 

Fotos AFP, EFE e twitteiros

 

Deixe uma resposta